QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“A caridade dos Céus é fonte que não se esgota.” Auta de Souza

Atualidades

Pluralidade dos mundo existentes

Enviado em 15 de agosto de 2017 | Publicado por Rádio Boa Nova

A doutrina espírita nos ensina que todos os mundos são habitados por seres corporais que são apropriados à constituição física de cada globo. Allan Kardec, na questão 55, de O Livro dos Espíritos, pergunta:

Todos os globos que circulam os espaços são habitados?

Resposta: Sim, e o homem terreno, está bem longe de ser, como acredita, o primeiro em inteligência, bondade e perfeição. Há, entretanto, homens que se julgam espíritos fortes e imaginam que só este pequeno globo tem o privilégio de ser habitado por seres racionais. Orgulho e vaidade! Crêem que Deus criou o Universo somente para eles.

Comentário de Kardec: “Deus povoou os mundos de seres vivos, e todos concorrem para o objetivo final da Providência. Acreditar que os seres vivos estejam limitados apenas ao ponto que habitamos no Universo, seria pôr em dúvida a sabedoria de Deus que nada fez de inútil e deve ter destinado esses mundos a um fim mais sério do que o alegrar os nossos olhos. Nada, aliás, nem na posição, no volume ou na constituição física da terra, pode razoavelmente levar-nos à suposição de que tenha o privilégio de ser habitada, com exclusão de tantos milhares de mundos semelhantes”.

Os espíritos e Kardec falam das moradas que existem no Universo, ou seja, das diferentes habitações que circulam no espaço, que oferecem aos Espíritos moradas de acordo com a sua evolução. Pode-se dizer que existem mundo inferiores à Terra,  outros que estão no mesmo grau de evolução e ainda, outros mais elevados.

E ainda, o codificador da doutrina espírita, por meio de relatos de espíritos, de vários graus evolutivos, classificou os mundos habitados, são eles:

Mundos inferiores: “a existência é toda material, as paixões reinam soberanas, a vida moral quase não existe”;

Mundos primitivos: são destinados às primeiras encarnações dos espíritos, os homens vivem por meio da razão;

Mundos Intermediários: o bem e o mal se misturam, predominando o último quanto mais atrasada é a sua humanidade, já o primeiro diz respeito a caminhada da humanidade em seu desenvolvimento moral e intelectual;

Mundos Superiores: há predominância do bem, nele o trabalho é pelo bem de todos. Quanto mais elevado, mais reina a felicidade e a paz.

Allan Kardec, apresentou ainda uma outra classificação de acordo com o grau de seus habitantes:

Mundos de provas e expiações: o mal predomina, seus habitantes têm orgulho; são egoístas, invejosos. A Terra pertence a esta categoria.

Mundos regenerados: agora, quem predomina é o bem. Por mais, que seus habitantes tenham débitos a expiar, essa expiação já não é realizada com angústia e sofrimento, como na Terra. Neste mundo os habitantes expiam-se em alegrias, no exercício do bem a todos.

Mundos Felizes: o bem se sobrepõe. Nele é possível viver plenamente, em gozos espirituais.

Mundos Celeste: o amor reina absoluto tanto no coração como na mente.

Os mundos: primitivos; de provas e expiações; regenerados servem de moradas para aqueles espíritos que estão sujeitos às leis de reencarnação em mundos materiais, já que estão desenvolvendo o seu potencial espiritual.

Já nos dois últimos mundos, os espíritos que habitam essas moradas, são aqueles que não precisam mais viver no mundo material. Eles passar a colaborar nas obras do Pai, por exemplo, auxiliar os espíritos que estão em desenvolvimento.

Os espíritos que estão encarnados em mundos materiais não ficam sempre no mesmo. A partir do momento em que não precisam aprender mais nada com as experiências que lhe são proporcionadas, ele passa a reencarnar em um mundo superior, e assim sucessivamente, até atingir o espírito puro.

 “Os mundos são as estações em que eles ( os espíritos) encontram os elementos de progresso proporcionais ao seu adiantamento. É para eles uma recompensa passarem a um mundo de ordem mais elevada, como é um castigo prolongarem sua permanência num mundo infeliz, ou serem relegados a um mundo ainda mais infeliz, por se haverem obstinado ao mal.”

Fontes: Centro Espírita Batuíra | Passatempo Espírita | Verdade e Luz

 

 

Por Juliana Chagas 

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

Deixe seu comentário: