QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Mediunidade é a faculdade humana, natural qual se estabelecem as relações entre homens e espíritos.” Centenário de J. Herculano Pires

Artigos

Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho, uma outra leitura

Enviado em 26 de setembro de 2016 | No programa: Espelho da Vida | Escrito por Osmar Marthi | Publicado por Juliana Chagas

dinheiro

Estamos vivendo uma das maiores, senão a maior Crise da História de nosso Pais. Não somente política e econômica, mas sobretudo moral, porque os problemas políticos e econômicos que atravessamos remontam de há muito e tem sua origem no egoísmo e orgulho, as duas maiores chagas da Humanidade segundo a Doutrina Espírita. E não se trata apenas de egoísmo e orgulho dos outros, sejam eles governantes, empresários, etc, com suas devidas exceções, mas de nós mesmos, porque não poderíamos assegurar que nas mesmas posições não tivéssemos as mesmas atitudes daqueles que criticamos, ou piores.

Pois não sabemos nossas reações diante do Poder, do prestígio e das facilidades que o Mundo nos proporciona. Hoje mesmo, talvez tenhamos em pequena escala atitudes corruptas, como furar filas, sonegar impostos, burlar as leis de trânsito segundo nossos interesses, etc., salvo as devidas exceções. Embora esses problemas sejam inerentes aos espíritos, portanto, envolvendo a todos os países, focaremos neste momento a situação de nosso pais.

Portanto, amigo leitor, você, como eu, deve estar se perguntando: será que Humberto de Campos errou ao afirmar que o Brasil será o Coração do Mundo, a Pátria do Evangelho em seu livro psicografado pelo querido Chico Xavier?  Afinal nos parece estarmos tão distantes dessas condições!

Para entendermos a questão podemos fazer uma outra leitura dessa assertiva, já que comumente imaginamos que “a árvore do Espiritismo foi transplantada da França para o Brasil” dada a maior aceitação de nosso povo às ideias espiritualistas, para que aqui a Doutrina Espírita florescesse e se disseminasse ao mundo inteiro. Talvez não seja bem assim. Talvez seja exatamente o contrário, ou seja, uma sociedade ainda em construção, em que estamos aprendendo a duras penas a dividir, a ser tolerantes, pacientes e pacíficos, a superar adversidades pelo trabalho e fraternidade e não pela força, que é uma grande mistura de raças, culturas, pensamentos é na verdade o lugar ideal para a prática da Doutrina Espírita!

Estamos sendo convidados a vivê-la em toda sua intensidade,  a mantermos nossa integridade, nossa honestidade, nossa solidariedade mesmo que muitos  ajam egoisticamente, defendendo seus próprios interesses. Não importa ! um erro não pode justificar outro. O erro do outro não justifica o meu ! nossa obrigação como cidadãos é ser honestos, cumprir com nossos deveres e não apenas reivindicar nossos direitos. Como cobrar uma atitude ética do outro se não a praticarmos e dermos o exemplo dela ? Além disso, qual é o verdadeiro interesse de um espírito (já que o somos, reencarnados) ? material ou espiritual ? Valeria a pena como espíritos, agirmos desonestamente, sabedores que somos das graves consequências espirituais dessas atitudes ? se nos candidatamos a ser moradores de um mundo de Regeneração, precisamos cumprir as leis humanas e também as divinas.

Nós, espíritas, estamos sendo chamados nesta enorme crise ético-moral que atravessamos, que nada mais é do que resultado de nossas próprias atitudes individuais, a darmos o testemunho de nossa fé, de nossos valores cristãos, de solidariedade e fraternidade, compreensão e tolerância, seja esta cultural, racial, religiosa, política, sexual, esportiva, etc, pois, conforme se aprende em O Livro dos Espíritos, questão 881, devemos (trabalhar) “em comum, como a abelha, através de um trabalho honesto e não ajuntar como um egoísta.”

Nossa grande “colmeia” verde e amarela está doente, gravemente doente, tomada pelo egoísmo de alguns e indiferença de outros, pois podemos crer que a grande maioria dos espíritos que aqui vivem são de homens de bem;  para que a colmeia esteja sadia cada membro dela precisa fazer a sua parte, ou seja,  precisamos fazer com que o Bem resplandeça em nossos pensamentos, corações e mãos para transformar este pais  realmente no Coração do Mundo, Pátria do Evangelho.

“Espíritas! amai-vos, este o primeiro ensinamento; instruí-vos, este o segundo” nos conclama o Espírito da Verdade (1).

 Então, mãos à Obra,  espíritas!

 

1 – O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap VI –item 5

 

Foto ilustrativa: freeimages.com

Deixe seu comentário: