QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Um dos aspectos notáveis da evolução espiritual humana é que todos os doentes da alma se tornam médicos por sua vez.” Bezerra de Menezes

Editorial

A visão do Umbral no filme ‘Amor Além da Vida’

Enviado em 24 de julho de 2017 | Publicado por Elen Alarça

O Umbral, na definição da doutrina espírita, é um local de estadia temporária dos desencarnados. As pessoas vão para lugares que mais se adaptam às vibrações que tiveram em vida. Segundo a obra “O Céu e o Inferno ou a Justiça Divina, segundo Espiritismo”, de Allan Kardec, “não há, pois, para o Espírito, senão duas alternativas: punição temporária graduada segundo a culpabilidade, e recompensa graduada segundo o mérito.”

Podemos ter uma noção deste lugar no filme “Amor Além da Vida”, de 1998. O Umbral é ilustrado de tal forma que podemos ao menos ter uma noção do que acontece com o espírito ao retornar à pátria espiritual. Chris Nielsen (Robin Williams) e Annie (Annabella Sciorra), sua mulher, são um casal que vive feliz com os seus filhos. Mas o destino preparou surpresas para essa família, pois as crianças morrem num acidente automobilístico.

Após quatro anos, Chris também desencarna num acidente, deixando Annie sozinha. Ele vai para o Céu, num local onde não existem anjos e harpas. Como ele gostava dos quadros que sua mulher desenhava, o “seu paraíso” era igual a um lindo retrato pintado por dela. Inconsolável, na terra, sua esposa caiu numa depressão profunda. Seu marido tenta reanimá-la com mensagens sobre a imortalidade do espírito, por meio da intuição e de psicografias. No entanto, ela acaba vencida pela tristeza e comete suicídio. Ele é informado sobre o que aconteceu e sai de onde vive em busca de sua esposa, mesmo sabendo que ela não o reconheceria. 

Desta forma, Chris entra numa jornada ao Umbral de Annie. Como ela se matou, foi para um local incomunicável e de difícil acesso. Depois de muita luta, ele conquistou um milagre, resgatou Annie e a levou ao Céu. Como ele conseguiu? O homem a resgatou com o seu amor verdadeiro, além da vida. 

Todos nós iremos passar pelo Umbral, podemos até já ter vivido lá, afinal, o que nós somos hoje é o maior nível da nossa evolução no momento. Como Deus é misericordioso, teremos ajuda para sair deste local, assim como a Annie obteve no longa. Mas não se esqueça que a primeira ação tem que vir de você. Busque o seu melhor agora para que, na vida futura, não tenha que pagar por atitudes que foram feitas na última encarnação.

Deus nos permite tudo, e, por isso, nos deu o livre arbítrio. Quando faz ou constrói algo de ruim acaba se prejudicando com isso e aos poucos, com o passar de anos ou de séculos vai aprendendo que o único caminho para a libertação do sofrimento e da felicidade plena é a prática do bem. A vida na Terra e no Umbral funcionam como grandes escolas onde aprendemos no amor ou na dor. Aproveite a dica e confira o filme, se ainda não viu. Valerá a pena, pode ter certeza!

Fonte: Rede Amigo Espirita e “O Céu e o Inferno ou a Justiça Divina, Segundo Espiritismo”.

Foto: Divulgação

Leticia Lopes, 26, é jornalista guarulhense formada pela Faculdade Anhanguera e colaboradora da Rádio Boa Nova e TV Mundo Maior. Já assinou matérias em jornais locais e atuou como assessora de comunicação. Nas horas vagas, gosta de ler romances e revistas de jornalismo literário. Não dispensa uma boa pizza e a companhia de amigos. É nerd, adora jogar videogame. Além disso, é apaixonada pelo mundo espiritual e por recursos que estimulam o autoconhecimento.

 

Deixe seu comentário: