QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“O horizonte é sempre mais nobre e a estrada mais sublime, quando a oração permanece na alma em forma de confiança e de luz.” André Luiz

Editorial

Até 30% da população mundial roem as unhas

Enviado em 31 de dezembro de 2016 | Publicado por Juliana Chagas

roer-as-unhas-1Muitas mães já falaram para seus filhos: “Pare de roer as unhas” ou então “vou passar pimenta se você não parar com isso”. Uma reportagem da BCC Brasil publicou um estudo da revista PubMed.com que apontou que até 30% da população mundial roem as unhas.

E tanto adultos como crianças relacionam este hábito a ansiedade ou ao nervosismo. Mas, alguns estudos afirmam que as pessoas roem as unhas quando estão entediadas, com fome, frutadas ou tensas.

Hábito este que pode se tornar grave, ainda de acordo com a reportagem, roer as unhas pode estar associado a outras condições, por exemplo, ao déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) ou então com o transtorno de ansiedade por separação (TAS).

Porém, um estudo que foi publicado na revista “Journal of Behaviour Therapy and Experimental Pshychiatry” mostrou que o que move a onicofagia (termo técnico para roer as unhas) não é a ansiedade, e sim o perfeccionismo. A conclusão da pesquisa mostrou que as pessoas que roem as unhas são perfeccionistas e que este hábito diminui a irritação, o tédio.

Apesar de muitos dizerem que roer as unhas não é um distúrbio ou doença, há várias consequências, por exemplo, embaixo das unhas estão as bactérias que causam a salmonela, ou então, as verrugas que são causadas pelo chamado papiloma vírus humanos podem se propagar pela boca e pelos lábios.

Segundo a Academia Americana de Dermatologia – AAD, em entrevista a BBC, as infecções causadas pelo hábito de roer as unhas são as mais comuns. A chamada “paroníquia”, infecção mais comum, é dolorosa e em casos extremos pode chegar a uma intervenção cirúrgica.

Parar de roer as unhas é muito difícil, porém, existem métodos domésticos que podem facilitar, por exemplo, bronca de pai | mãe, sabores desagradáveis colocados na unha, etc.

Pesquisas apontam que 45% dos adolescentes que roem as unhas, quando se tornam adultos param com este hábito. Entretanto, para evitar complicações na adolescência é importante não roer as unhas!

Fonte Imagens: freepik.com

Deixe seu comentário: