QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Antes de tudo precisamos entender que nada sabemos. Então, estaremos conscientes de nossa ignorância e capazes de aprender.” Centenário de J. Herculano Pires

Editorial

Auto-obsessão

Enviado em 5 de outubro de 2017 | Publicado por Rádio Boa Nova

“O homem não raramente é obsessor de si mesmo. Alguns estados doentios e certas aberrações que se lançam à conta de uma causa oculta, derivam do Espírito do próprio individuo. São doentes de alma. (Allan Kardec).

Seguindo o nosso estudo a respeito dos Tipos e Graus de Obsessão,nesta semana vamos falar sobre a Auto-obsessão.

Como vimos anteriormente, Allan Kardec, define a obsessão como o domínio que alguns Espíritos exercem sobre certas pessoas.

O que seria a auto-obsessão?

Ela consiste em você ser o seu próprio obsessor. Como? Quantas vezes criamos situações onde não há Espíritos e acabamos culpando-os pelo o acontecido, por exemplo, quando acordamos irritados sem motivo algum.

Na auto-obsessão vivemos prisioneiros de nossos pensamentos negativos e pessimistas, que acabam nos sufocando e nos aprisionando.

A auto-obsessão ocorre quando fazemos o papel de obsessor e vítima. Geralmente, ela é acompanhada de sentimentos ligados a culpa, complexo de inferioridade, recriminação, que acabam gerando ideias ou crenças inadequadas que distorcem o real  o significado de honestidade, pureza, castidade.

Ela ocorre também quando passamos a ser “vítima do destino”, ou seja, os seres auto-obsediados falam que a vida é injustiça, ou então, acabam sendo o que não é.  Além de serem facilmente influenciados e sentirem dificuldade de analisar a vida como ela realmente é.

Por exemplo, podemos nos passar por bonzinhos, quando por dentro estamos sentido inveja, raiva, da pessoa, por ela ter conseguido tal feito.

E como se libertar?

É preciso realizarmos uma auto-observação e aprender a testemunhar nossos próprios pensamentos, emoções e atitudes. Além de desenvolver uma visão interior que não acuse e nem julgue. Mas sim, observa de maneira objetiva e imparcial.

É importante também admitir o que realmente somos e o que sentimentos, sem nos condenarmos ou punirmos. A autoaceitação ajuda a conscientização de nossa ignorância.

Saiba mais a respeito desse assunto no programa Mediunidade Hoje, da TV Mundo Maior.

Parte I

Parte II

Parte III


Fontes: Seara Bendita | Espiritismo na Prática

 

 

Por Juliana Chagas 

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

Deixe seu comentário: