QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Frase da semana: O amor é uma força que transforma o destino.” Chico Xavier

Editorial

Enfrentamento das Dependências Químicas

Enviado em 30 de novembro de 2016 | Publicado por Elen Alarça

enfrentamento_das_dependencias_quimicasDependência química representa um grande desafio para a humanidade. Muitos são os irmãos acometidos por esta chaga. Os motivos são inúmeros e podem partir de pré-disposição genética, fuga para problemas, status social, tendências de outras existências e até influências espirituais.

A base religiosa e espiritual é altamente positiva no combate aos vícios e as más tendências. Qualquer que seja a religião terá o objetivo de ser um suporte considerável no sentido do reequilíbrio do ser, viabilizando uma “mão amiga”, acolhendo e instruindo.

Em uma publicação intitulada “O Espírita Mineiro” em 1979, Chico Xavier faz considerações, como sempre, muito coerentes em relação às drogas:

“O tóxico é outro problema para nossos irmãos que se enfraqueceram diante da vida, que procuram uma fuga. Não são criminosos. São criaturas carentes de mais proteção, de mais amor. Porque se os nossos companheiros enveredaram pelo caminho do tóxico, eles procuraram esquecer algo. E esse algo são eles mesmos.”

Compreende-se que o invólucro físico é apenas emprestado e somos responsáveis pelo bom ou mau uso desta ferramenta. Sabemos que após o desencarne continuamos com os mesmos pensamentos e ideias, porém com a ausência do corpo físico.

No livro “Memórias de Um Toxicômano”, psicografado pelo Médium Alberto Ferreira, o Espírito Tiago desencarnou vítima de um suicídio involuntário (excesso do uso de drogas). No livro ele conta sua experiência e trajetória e inclusive que mesmo após o desencarne continuava dependente das drogas, chegando a trabalhar como traficante no mundo invisível e influenciador de jovens. A seguir, cita-se o lindo trecho onde Tiago desperta para a sua realidade:

“Naquele instante, conscientizei-me do martírio em que tornei a minha própria vida em busca de uma felicidade enganosa, representada por um prazer tão efêmero quanto material. A dor daquelas pessoas que eu havia iniciado nas drogas pesava-me muito na consciência. Aquela fila de desgraçados passando por mim insistia em não sair da minha mente. E sabia que era o responsável pela desgraça de cada um deles. Espontaneamente, uma lágrima rolou pela minha face e supliquei a Deus forças para a minha mudança e alívio para aqueles sofredores que permaneciam naquele estado por minha causa.”

 Julgar o adicto é atitude anticristã. A Doutrina Espírita esclarece que é preciso compreender a dor do próximo. É preciso entender que se trata de uma doença e como outra qualquer precisa de um tratamento eficaz. Porém, entende-se que o principal agente na “cura” é o próprio usuário.

O tratamento espiritual pode auxiliar e muito no processo do enfrentamento da doença, bem como na compreensão e explicação de diversas questões que acalmam a tranquilizam. Os amigos da espiritualidade amiga auxiliam tanto os irmãos do mundo espiritual e os do mundo físico, ajudando na energização que revigora e auxilia.

O programa Recuperação que vai ao ar todos os sábados, às 12h, tratou sobre o tema “Enfrentamento das Dependências”, o qual dá uma visão amplamente aberta sobre o assunto. A informação é aliada da prevenção. É preciso entender para divulgar as graves consequências do uso das drogas para o corpo físico e espiritual.

 

Fonte ilustrativa: unsplash.com

Deixe seu comentário: