QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Corrigirás o mal com o bem, afastarás a agressão com a paciência.” Emmanuel

Editorial

Expectativas geram sentimento de ingratidão do outro

Enviado em 11 de maio de 2017 | Publicado por Rádio Boa Nova

Geralmente o ser humano tem os costume de projetar aquilo que ele acha correto e acha que deve ser feito, como verdade absoluta. É frustrante para aquele que sempre gera expectativa sobre a atitude do próximo e ela não é correspondida. Na verdade, o correto, ou pelo menos ideal, é que todos façam o melhor que podem sem esperar o retorno.

Já ouviu falar que devemos fazer o bem sem esperar nada em troca e que cada um oferece apenas o que tem dentro de sí? O maior exemplo de “fazer o bem sem esperar  reconhecimento” é o de Jesus. Que fazia o bem ao próximo sem julgar e por tamanha bondade foi injustiçado e apedrejado por muitos.

No Livro Dos Espíritos, questão 938. As decepções causadas pela ingratidão não podem endurecer o coração e torná-lo insensível?

    — Seria um erro pensar assim, porque o homem de coração, como dizes, será sempre feliz pelo que praticar. Ele sabe que, se não o reconhecerem nesta vida, na outra o farão, e o ingrato sentirá então remorso e vergonha.

As pessoas são responsáveis pelas próprias atitudes e pensamentos, não pelos dos outros. Guardar um rancor pelo que o outro faz ou fez só irá te prejudicar fisicamente ou mentalmente.

Na questão 937, Kardec pergunta: As decepções provocadas pela ingratidão e pela fragilidade dos laços de amizade não são, também, para o homem de coração, uma fonte de amarguras?

    — Sim, mas já vos ensinamos a lastimar os ingratos e soa amigos infiéis, que serão mais infelizes do que vós. A ingratidão é filha do egoísmo e o egoísta  encontrará mais tarde corações insensíveis como ele próprio o foi. Pensai em todos os que fizeram mais bem do que vós, que valiam mais do que vós, e no entanto foram pagos com a ingratidão. Pensai que o próprio Jesus, quando na Terra, foi injuriado e desprezado, tratado de patife e impostor, e não vos admireis de que o mesmo vos aconteça. Que o bem que fizeste seja vossa recompensa neste mundo e não vos importeis com o que dizem os beneficiados. A ingratidão é uma prova para a vossa persistência em fazer o bem. Isso vos será levado em conta, e os que não vos foram reconhecidos serão punidos tanto mais quanto maior houver sido a sua ingratidão.

Repetindo mais uma vez, sempre que se sentir injustiçado pela ingratidão de alguém, lembre-se do exemplo de Jesus. O que os outros fazem é responsabilidade deles, você já tem muita responsabilidade sobre seus pensamentos e atitudes. Antes de querer mudar as pessoas ou julgá-las é interessante buscar entendê-las, e aceitar a forma como cada um pensa e age.

 

Fonte: Livro dos Espíritos 

 

Por Mariana Fridman

Produtora e Jornalista da Rádio Boa Nova

Deixe seu comentário: