QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Inteligência sem obras é tesouro enterrado. Mobiliza o conhecimento elevado para atenuar a ignorância.” Emmanuel

Editorial

Filhos frustrados serão adultos íntegros

Enviado em 11 de novembro de 2016 | Publicado por Mariana Garofalo

criancas-mimadas_dentroCriar os filhos e estabelecer bases sólidas para a formação de um adulto ético é bastante desafiador na atual conjuntura. Se você frustrar um pouco os seus filhos eles serão crianças felizes e adultos íntegros.

Você concorda?

A afirmação vem do pediatra Daniel Becker, criador da Pediatria Integral um conceito que defende a ideia de que a criança precisa ser vista de forma abrangente, amorosa e profunda. Não é apenas tratar e prevenir doenças, mas cuidar do bem estar emocional, social e o aspecto espiritual.

Dr. Daniel possui 20 anos de experiência de consultório no Rio de Janeiro, sendo formado pela UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde é especialista em Homeopatia e Mestre em Saúde Pública. Médico do Instituto de Pediatria da UFRJ foi pediatra da ONG “Médicos Sem Fronteira” em campos de refugiados na Ásia e fundador de uma ONG, o CEDAPS, Centro de Promoção da Saúde, com atuação em comunidades carentes.

O site Portal Raízes publicou uma entrevista com o médico. Ressaltamos neste texto algumas colocações bastante pertinentes.

Na atualidade, parece que algumas crianças não possuem limites. Por vezes, dizer não aos filhos parece difícil. Muitos pais querem dar aos seus filhos tudo o que não tiveram a oportunidade de ter, porém será essa uma atitude verdadeiramente saudável? Segundo Becker, a falta de limites é prejudicial:

“Isso tudo causa um prejuízo enorme, tanto na qualidade de vida dessa família, quanto na psique, na emocionalidade dessa criança. Ela precisa saber que a sua vida tem limites, que a sua influência tem limites, que o mundo não gira em função do seu umbigo. Muitos meninos e meninas dessa geração vão levar isso para a vida adulta e não só terão dificuldades de convívio como vão quebrar a cara nos seus ambientes de trabalho e em relacionamentos interpessoais. Porque nem sempre a vida vai acolher esse tipo de onipotência que é resultado de uma educação cheia de falhas nesse sentido.”

O enunciado do texto fala sobre a palavra frustração, que segundo o dicionário significa quando um indivíduo é impedido por outra pessoa ou por si mesmo de atingir a satisfação de uma exigência emocional. O sentido de frustrar os filhos é o de colocar de limites, que são necessários. A questão da superproteção também é bastante discutida na Pediatria Integral e discorre que as crianças precisam vivenciar suas experiências, sem a interferência dos pais a todo o momento:

“A superproteção é impedir que as crianças tenham suas próprias experiências. Elas ficam impedidas de lidar com o risco, com a aventura, com as relações interpessoais, com os problemas da escola, com a dor, com os machucados. A criança tem que ter a experiência do risco, do machucadinho e da frustração.”

De fato todos os pontos aqui destacados são primordiais para a construção de uma base sólida para as nossas crianças. Compreende-se que a criança é um espírito em evolução, trazendo consigo suas tendências positivas e negativas, vindas de outras existências. Quando aqui reencarna necessita de um direcionamento e acolhimento, para colocar em andamento a continuidade de sua evolução moral e espiritual. Cabe aos pais responsabilidade grandiosa de direcionar seus filhos para o bem!

Deixe seu comentário: