QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Um dos aspectos notáveis da evolução espiritual humana é que todos os doentes da alma se tornam médicos por sua vez.” Bezerra de Menezes

Editorial

Mitos e verdades sobre a validade dos medicamentos

Enviado em 10 de dezembro de 2016 | Publicado por Juliana Chagas

remédioAs pessoas encontram dificuldades nos remédios quando precisa jogá-los fora. Conheça alguns mitos e verdade a respeito dessa questão.

Estratégia de laboratórios para que se compre mais

De acordo com a legislação todos os remédios devem contém prazo de validade. Em entrevista ao site BBC, o diretor de farmacologia da Clínica Universidad de Navarra, Espanha, José Azanza, disse que a OMS – Organização Mundial da Saúde decidiu que este prazo não deve passar de 5 anos. Ainda de acordo com Azanza, o mais comum é a validade de dois anos.

Se eu tomar remédio vencido passo mal?

Segundo José Azanza, não acontece nada e ainda são raros os remédios que causam efeitos tóxicos após a data de vencimento.

Porém, o mesmo poderá não surtir efeito e também não é possível ter certeza que esses medicamentos vencidos sejam inofensivos, já que tanto os órgãos nacionais e internacionais não realizam estudos a respeito dos efeitos pós-vencimento.

Aspirinas vencidas

Em entrevista também a BBC, a professora de Farmacologia da Universidad Castilla – La Mancha, Espanha, Inmaculada Posadas, disse que a aspirina não deve ser utilizada por muito tempo após a validade, já que a substância presente no medicamento pode se tornar tóxico.

O medicamento pode perder sua eficiência antes da data de validade?

De acordo com Azanza, os remédios possuem substâncias químicas que são instáveis e estáveis, dependendo de sua composição.

Além disso, outros fatores, como por exemplo, umidade, temperatura podem reagir com as substâncias modificando assim sua estrutura química.

Os colírios devem ser jogados fora mesmo que esteja dentro do prazo de validade?

Quando abertos eles devem ser usados de acordo com a orientação médica e jogados fora após o tratamento, mesmo que ainda sejam válidos.

Azanza, na reportagem da BBC explicou que o mesmo colírio não serve para o mesmo paciente, inclusive nos casos em que o problema original volte a se manifestar, pois a solução pode estar contaminada com bactérias e mesmo fungos por causa do contato com o ar.

Por mais que os remédios vencidos não tragam grandes problemas, isso não deve se tornar uma prática constante. Organizações da saúde recomendam que esses remédios sejam levados a lugares próprios para serem destruídos.

Os remédios precisam ser renovados com regularidade

Fonte Imagens: freeimages.com

Fonte: BBC Brasil

Deixe seu comentário: