QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Um dos aspectos notáveis da evolução espiritual humana é que todos os doentes da alma se tornam médicos por sua vez.” Bezerra de Menezes

Editorial

Município de Gurinhatã reconhece carta de Chico Xavier como patrimônio cultural

Enviado em 7 de agosto de 2017 | Publicado por Elen Alarça

Uma carta do médium Chico Xavier  enviada para a cidade de Gurinhatã, em Minas Gerais, é reconhecida como patrimônio cultural pelo departamento de Educação, Cultura, Esporte e Lazer do município. 

O registro foi concedido após a equipe do Patrimônio Cultural, composta por Cláudio Scarparo Silva e Antônio Cézar da Costa, fazer uma análise cuidadosa nos envelopes da carta com os panfletos. 

A origem da carta é contada pela própria pessoa que a recebeu. No ano de 1960, o conselheiro do patrimônio cultural de Gurinhatã, Tobias Ribeiro, tinha um problema sobre posse de terras para resolver. Sendo espírita e querendo receber uma opinião de alguém de sua religião, escreveu uma carta endereçada ao médium Chico Xavier sobre a demanda que estava causando muitos aborrecimentos na sua rotina.

Ao cair da noite do mesmo dia, resolveu queimar a carta. Ribeiro temia envolver o nome de outras pessoas e piorar a situação. Uma semana depois, num domingo, o chefe de correio de Gurinhatã veio dizer que havia chegado uma correspondência para ele. Para sua surpresa, era uma resposta de Chico Xavier aos seus questionamentos.

Na época, Ribeiro vivia na Fazenda do Matão e o serviço de correios era do distrito de Gurinhatã. Na segunda-feira, ele se deslocou até a cidade para receber a carta. O conteúdo do envelope de Uberaba foi estarrecedor. Chico revelou todas as respostas para suas dúvidas que Ribeiro nem tinha chegado a enviar ao médium.   

Além disso, Chico enviou dois panfletos com mensagens espirituais. O envelope chegou a ser levado até Uberaba para testemunho dos espíritas e simpatizantes da doutrina espírita. 

Médium: Chico Xavier escreveu diversas obras importantes para o espiritismo. Publicou quase 500 obras ao longo de 92 anos em sua vida terrena. Com mais de 60 milhões de exemplares vendidos. Seus textos já foram traduzidos em mais de 15 idiomas, entre eles japonês, grego, tcheco e até esperanto. Também existem versões em braile. Chico retornou à Pátria Espiritual em 30 de junho de 2002.

Fonte: Pontal em Foco.

Fotos: Pontal em Foco.

 

Leticia Lopes, 26, é jornalista guarulhense formada pela Faculdade Anhanguera e colaboradora da Rádio Boa Nova e TV Mundo Maior. Já assinou matérias em jornais locais e atuou como assessora de comunicação. Nas horas vagas, gosta de ler romances e revistas de jornalismo literário. Não dispensa uma boa pizza e a companhia de amigos. É apaixonada pelo mundo espiritual e por recursos que estimulam o autoconhecimento.

 

Deixe seu comentário: