QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Antes de tudo precisamos entender que nada sabemos. Então, estaremos conscientes de nossa ignorância e capazes de aprender.” Centenário de J. Herculano Pires

Editorial

O poder da premonição em vigília e durante o sono

Enviado em 15 de setembro de 2017 | Publicado por Rádio Boa Nova

Carol, uma mãe que mora em São Paulo, levantou às 15h30 de uma tarde ensolarada para fazer um café. Ela teve uma intuição/premonição forte que deveria sair de onde estava tomando sol. O local era uma área de 20 m², que ficava ao lado de outra casa.

Alguns minutos mais tarde, enquanto estava na cozinha, ouviu um estrondo. Ela correu para o quintal e encontrou diversas telhas – de um quilo cada uma – espalhadas aonde estava deitada minutos antes. Se Carol estivesse ali, esses objetos poderiam ter caído direto em sua cabeça, o que poderia ter causado problemas de saúde no órgão ou mesmo o seu desencarne.

Premonições assim não são tão incomuns. Elas acontecem, muitas vezes, nas horas de vigília – quando acordados – como um palpite, uma intuição ou a sensação de que algo vai acontecer.

A questão 420 do “O Livro dos Espíritos”, de Allan Kardec, explica que essa transmissão oculta de pensamento pode ocorrer quando o corpo está completamente desperto. “O espírito não está encerrado no corpo como numa caixa: ele irradia por todos os lados. Por isso, ele pode se comunicar com outros espíritos mesmo no estado de vigília, ainda que o faça mais dificilmente”.

Sonhos premonitórios

O colega de uma das vítimas fatais da tragédia da Chapecoense, do voo 2933 da LaMia, também previu o que iria acontecer dias antes do acidente. O jogador amazonense Soares, ex-atacante da Chape, amigo de Bruno Rangel – morto no acidente –, afirmou que sonhou com um acidente de avião duas vezes em menos de uma semana, sendo o última deles na noite em que a aeronave da LaMia caiu em solo colombiano.

“Sexta-feira passada tive um sonho em que estava caindo um avião. Na hora, até repreendi, pedindo a Deus que não acontecesse nada com nenhuma companhia aérea e voltei a dormir. Na terça-feira, por volta de 5h30 da manhã eu acordei assustado e até acordei minha esposa, que me viu chorando e perguntou o que tinha acontecido. Falei que tinha sonhado de novo com o avião caindo e ela disse para eu orar e ir dormir que era só mais um sonho. Por costume, peguei meu telefone, que estava carregando, para ver as mensagens e tinha mais de quinhentas do pessoal perguntando como eu estava, se estava bem, porque muitos deles pensavam que eu ainda estava na Chapecoense. Quando vi uma reportagem dizendo que o avião da Chapecoense tinha caído foi um choque. Acordei minha esposa e disse que não tinha sido um sonho. Ali o mundo caiu para mim. Chorei muito, pensei em todos os meus amigos ali, incluindo membros da diretoria. Comecei a me desesperar, tentando ligar para os parentes”, relatou Soares ao “Globo Esporte”.

Kardec diz em “O Livro dos Espíritos” que os sonhos têm o poder de nos dizer o que poderá acontecer por conta da emancipação da alma nessa ocasião. “Quando o corpo repousa, o Espírito dispõe de mais faculdades que no estado de vigília. Lembra-se do passado e, às vezes, tem a previsão do futuro. Adquire maior potencialidade e pode entrar em comunicação com os outros Espíritos, seja deste mundo, seja de outro. O sono liberta, parcialmente, a alma do corpo”.

Fontes: Globo Esporte e RBN.     

Leticia Lopes, 26, é jornalista guarulhense formada pela Faculdade Anhanguera e colaboradora da Rádio Boa Nova e TV Mundo Maior. Já assinou matérias em jornais locais e atuou como assessora de comunicação. Nas horas vagas, gosta de ler romances e revistas de jornalismo literário. Não dispensa uma boa pizza e a companhia dos amigos. É apaixonada pelo mundo espiritual e por recursos que estimulam o autoconhecimento.

Deixe seu comentário: