QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“O horizonte é sempre mais nobre e a estrada mais sublime, quando a oração permanece na alma em forma de confiança e de luz.” André Luiz

Editorial

Se apaixonar faz seu cérebro encolher?

Enviado em 1 de janeiro de 2017 | Publicado por Juliana Chagas

amorTodo mundo já se apaixonou e essa sensação é uma das mais intensas da vida. E ao menos tempo em que um relacionamento deixa a pessoa mais feliz, ela pode ficar mais “abobalhada” e com a cabeça confusa.

Para entender o porquê disso, a revista Superinteressante publicou um estudo de neurocientista do Instituto Nacional de Ciências Fisiológicas, no Japão, que recrutaram 113 voluntários (em relacionamento e solteiro), para estudarem através de imagens de ressonâncias e de um questionário sobre o seu atual estado de felicidade, o que acontece no cérebro quando se está apaixonado.

E como conclusão, os pesquisadores notaram que os voluntários que tinham começado um relacionamento recentemente eram mais felizes, porém apresentaram uma área específica do cérebro reduzida em relação ao cérebro dos solteiros.

As pessoas que namoravam tinha menos massa cinzenta no chamado corpo estriado dorsal, sistema de recompensa, que é responsável por nos fazer sentir bem, processando estímulos positivos.

Os estudiosos não descobriram o porquê desta diferença entre os cérebros, porém a aposta dos cientistas é que essa parte do cérebro encolhe em resposta ao sintoma do amor, ou seja, o corpo se adapta ao estado de felicidade para não sobrecarregar o sistema de recompensa.

Mas, para se ter certeza, de que existe uma relação a estar feliz e apaixonado e com a diminuição da massa cinzenta no cérebro, novas pesquisas são necessárias.

Fonte: Revista Superinteressante

Fonte Imagens: freeimages.com

Deixe seu comentário: