QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“De nada adianta crer, se sua crença não o faz dar sequer um passo na senda do progresso.” Allan Kardec

Estudo_espirita

Luta contra Aids como aprendizado espiritual

Enviado em 1 de dezembro de 2017 | Publicado por Juliana Chagas

O dia 1º de dezembro foi internacionalmente instituído como o Dia Mundial de Combate à Aids ou Dia Mundial de Luta Contra a Aids.

Mas qual o sentido de “lutar contra a Aids”?

Alguns mitos precisam ser esclarecidos à respeito desta doença.

O vírus da Imunodeficiência Humana, conhecido pela sigla em inglês HIV, é o causador da Aids que agride especificamente o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças.

Muitos soropositivos vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença, podendo transmitir o vírus a outras pessoas pelas relações sexuais desprotegidas, compartilhamento de seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação. Este diagnóstico explica porque ter HIV não significa ter Aids.

Entre os anos de 2001 e 2012 as ocorrências de novas infecções diminuíram 33%, afirma a ONU – Organização das Nações Unidas. Apesar disso, temos que seguir batalhando contra esta epidemia com atitudes éticas, comportamentais e espirituais:

  • Utilizar o que a ciência comprova ser eficaz (uso da camisinha, distribuição de seringas para dependentes de drogas, etc.);
  • Fazer o teste e se proteger em todas as situações;
  • Eliminar o preconceito, a discriminação e a violação dos direitos humanos.

Com estes exemplos percebemos a necessidade da luta contra a Aids.

Enfermidade como meio de evolução

De acordo com o médico clínico geral, ortomolecular, homeopata e comunicador do programa Allegrum Vivi, Rubens Cascapera, todas as doenças são aprendizados do espírito: “Entendo que o espírito “escolhe” a maneira da lição. Segundo André Luiz na preparação da encarnação, teremos as questões que trazemos para “desintoxicação’ durante a reencarnação e as doenças são muitas vezes os canais de desintoxicação. Porém poderemos através do aprendizado e novas posturas não precisarmos necessariamente adoecer, e os genes que seriam “ativados” não o seriam e ficaríamos livres da doença. Portanto para mim o carma é a correção de postura que podemos pedir antes de reencarnar (congênita) ou durante a encarnação (adquirida)”.

Esclarecendo o motivo da existência das doenças, descobrimos que elas também fazem parte da nossa evolução e desta forma respeitaremos o próximo, eliminando preconceitos e lutando por uma sociedade mais humana.

“A conduta preventiva do comportamento  é que deve  ser observada, a medicina só é um instrumento para educar o ser humano nas questões de saúde física, mas a saúde  tem o aspecto emocional, social, espiritual, etc. O livre arbítrio é imperativo, porém relativo quando se trata de seres muito infantis como nós, por isso, não acredito em destino, mas em consequência natural dos fatos”, complementa Cascapera.

Foto de chamada: http://www.guaira.pr.gov.br/

Foto ilustrativa: http://cebes.org.br/

Deixe seu comentário: