QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Cada pessoa renasce na soma do que já fez.” Emmanuel

Estudo_espirita

Desenvolvimento mediúnico

Enviado em 12 de janeiro de 2018 | Publicado por Rádio Boa Nova

Como vimos anteriormente no texto Mediunidade Ostensiva, todos nós possuímos mediunidade, e enquanto em alguns ela está “inativa”, em outros ela já é mais aflorada. Allan Kardec, em o Livro dos Médiuns, fala:

“Todo pessoa que sente, em um grau qualquer, a influência dos espíritos, por isso mesmo, é médium.  Esta faculdade é inerente ao homem e, por consequência, não é um privilégio exclusivo; também são poucos nos quais não se encontrem os rudimentos dela”.

Como desenvolver a mediunidade?

De acordo com o dicionário Aurélio, a palavra “desenvolver”, significa progredir, alargar, instrui-se.

Com isso, o desenvolvimento mediúnico é o ato de crescer, expor a faculdade que permite aos homens se comunicarem com o espíritos. Ainda, em o Livro dos Médiuns, Kardec pergunta:

Kardec: O desenvolvimento da mediunidade está em razão do desenvolvimento moral do médium?

Resp: Não, a faculdade propriamente dita relaciona-se com o organismo; é independente do moral; não ocorre o mesmo com seu uso, que pode ser mais ou menos bom, segundo as qualidades do médium. (Capítulo 20, item 226)

Ainda de de acordo com o codificador da doutrina espírita, a mediunidade é independe do moral, do desenvolvimento intelectual e das crenças do médium, já que ela é adaptada ao organismo, para que mais tarde, seja desenvolvida, ou seja, todos nós possuímos o chamado gérmem da mediunidade, porém, somente algumas pessoa conseguem desenvolvê-lo.

O desenvolvimento mediúnico permite que o médium se torne um filtro leal do plano espiritual. A partir disso, Allan Kardec e vários benfeitores espirituais, nos orientam que no desenvolvimento é preciso passar por três etapas, são elas:

  • Etapa intelectual: diz respeito a necessidade do estudo da faculdade mediúnica e do conhecimento da Doutrina. .Em O Livro dos Médiuns, Kardec escreve:

“O estudo preliminar da teoria é indispensável, se quisermos evitar inconvenientes inseparáveis da inexperiência.”

  • Etapa material: o médium fica familiarizado com as técnicas em que a mediunidade é envolvida. Além disso, ele deve ser persistente, sério e deve fazer esta etapa em local sério e adequado. E também não pode desistir se em 2, 3, 4 tentativas não conseguir se comunicar.

“Na verdade, até hoje, não existe sinal ou diagnóstico infalível para se chegar à conclusão que alguém possua essa faculdade; os sinais físicos nos quais algumas pessoas julgam ver indícios, nada tem de infalíveis. Ela se encontra, nas crianças e nos velhos, entre homens e mulheres, quaisquer que sejam o temperamento, o estado de saúde, o grau de desenvolvimento intelectual e moral. Não há senão um meio para lhes contatar a existência que é o experimentar.” ([Livro dos Médiuns, capítulo 17 – item 200)

  • Etapa moral: Kardec define o verdadeiro espírita, aquele que não se contém em admirar a moral espírita, mas a pratica e aceita suas consequências. Com isso, aquele que desenvolveu a mediunidade deverá trabalhar pela nossa reforma moral. E ainda, somente com a evolução moral, nosso crescimento para o bem podem garantir a comuncação dos bens espíritos.

Esta etapa não é fácil já que há dentro de nós sensações e experiências negativas trazidas do passado, por isso, há uma facilidade de nos sintonizarmos com as energias negativas.

Como não nos envolvermos com os espíritos inferiores?

  • Trabalhe incessantemente na reforma moral.
  • Faça prece todos os dias
  • Sintonize bons pensamentos

Saiba mais sobre o assunto:

Parte I

Parte II

Parte III


Fontes: Guia HEU | Somos Todos Um

 

 

Por Juliana Chagas 

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

Deixe seu comentário: