QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“A serenidade humana, que é fruto do esforço pessoal de cada um, possibilitará ao indivíduo chegar ao ápice da luz.” J.Herculano Pires

Estudo_espirita

Morte dos Famosos e a Doutrina Espírita

Enviado em 16 de maio de 2017 | Publicado por Eliete Ribeiro

O mundo artístico nos chama atenção sobre diversos aspectos. Muitos sentem-se tão próximos que até os consideram como alguém da família. De tamanho que é o carinho que nutre pelo artista. Mas quando eles se vão para a pátria espiritual esta admiração não deixa de existir. É motivo de muita comoção por parte dos fãs.

Recentemente, sentimos a partida de grandes nomes da música.

O cantor Jerry Adriani, ídolo da Jovem Guarda, morreu às 15h30 do domingo (dia 23 de abril), aos 70 anos, no Rio. Ele enfrentava um câncer e estava internado no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, Zona Oeste. Recentemente, Jerry Adriani havia sofrido uma trombose em uma das pernas. Inclusive ele foi um dos convidados ilustres presentes no 12º Encontro Amigos da Boa Nova, em 2014, onde levou muito alto-astral a todos que puderam comparecer. Muitos de seus fãs fizeram filas para abracá-lo em conseguirem um autógrafo.

O cantor e compositor cearense Belchior estava distante dos palcos e da vida pública havia dez anos. Há quatro, ele vivia na cidade de Santa Cruz do Sul, a cerca de 120 km de Porto Alegre. Foi onde morreu na noite do sábado (29 de abril ), aos 70 anos de idade.

Na roda de samba, Almir Guineto estava de todos os lados. As composições, a voz e o talento instrumental fizeram do músico carioca um grande nome do estilo. O “rei do pagode” e “mestre do partido-alto” também morreu aos 70 anos na manhã de sexta-feira (5 de maio). Nos Originais do Samba, na bateria do Salgueiro, no Fundo de Quintal, em carreira solo e em inúmeras parcerias, foi uma das figuras mais marcantes da música brasileira.

“Na vida, não vale tanto o que temos, nem tanto importa o que somos. Vale o que realizamos com aquilo que possuímos e, acima de tudo, importa o que fazemos de nós! ” (Chico Xavier).

Há muitos questionamentos sobre a passagem de famosos nesta existência. Muitas pessoas se perguntam: “Quando a pessoa famosa chega ao plano espiritual ou quando ela reencarna se ela é reconhecida como a pessoa famosa que foi?

Allan Kardec em o Livro dos Espíritos nos explica o seguinte sobre a Encarnação nos Diferentes Mundos:

172. Nossas diferentes existências corpóreas se passam todas na Terra?
-Não, mas nos diferentes mundos. As deste globo não são as primeiras nem as últimas, mas as mais materiais e distanciadas da perfeição.
173. A cada nova existência corpórea a alma passa de um mundo a outro, ou pode viver muitas vidas num mesmo globo?
-Pode reviver muitas vezes num mesmo globo, se não estiver bastante adiantada para passar a um mundo superior.
173-a. Podemos então reaparecer muitas vezes na Terra?
-Certamente.
173-b. Podemos voltar a ela depois de ter vivido em outros mundos?
-Seguramente; podeis ter vivido em noutros mundos bem como na Terra.
174. É uma necessidade reviver na Terra?
Não. Mas não progredirdes podeis ir para outro mundo que não seja melhor, e que pode mesmo ser pior.
175. Há vantagens em voltar a viver na Terra?
Nenhuma vantagem particular, a não ser que se venha em missão, pois então se progride, como em qualquer outro mundo.

Quando falamos de morte, por mais difícil que seja, enfrentá-la, não devemos temê-la. Ela faz parte do processo evolutivo. Seja sempre prudente, busque sempre fazer caridade. Mas nunca a busque ou a precipite. Tudo tem seu tempo certo na vida e todos temos algo a fazer num tempo programado. E para aqueles que chegaram à pátria espiritual antes de nós, tenha a convicção de breve reencontro e ore pela felicidade deles. Eles receberão as nossas melhores vibrações de carinho.

Deixe seu comentário: