QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“De nada adianta crer, se sua crença não o faz dar sequer um passo na senda do progresso.” Allan Kardec

Estudo_espirita

Obsessão recíproca

Enviado em 28 de setembro de 2017 | Publicado por Rádio Boa Nova

Dando sequência ao estudo dos Tipos de Obsessões, nesta semana vamos falar a respeito da Obsessão Recíproca.

Como vimos anteriormente a obsessão é uma das maiores dificuldades que a prática espírita pode apresentar. Allan Kardec, na obra O Evangelho Segundo o Espiritismo apresenta a seguinte definição:

“A obsessão é a ação persistente de um Espírito mau sobre uma pessoa. Apresenta características muito diversas, desde a simples influência de ordem moral, sem sinais exteriores perceptíveis, até a completa perturbação do organismo e das faculdades mentais”.

O espiritismo nos ensina também que a obsessão é uma via de mão dupla e que está relacionada há três fatores:

  • falta moral;
  • distúrbios mentais;
  • lesões físicas que acabam afetando estruturas ou órgãos relacionados à emoção, ao raciocínio.

Obsessão recíproca é aquela em que um espírito obsedia o outro. A escravidão mútua e a perseguição são características deste tipo.  Neste caso, a relação se transforma em simbiose, ou seja, um não pode viver sem o outro.

A obsessão recíproca acontece entre os encarnados, por exemplo, um casal que possuem um amor desequilibrado e interesses materiais, muitas vezes, esta relação termina ou então acaba gerando tristeza, agonia e até mesmo tragédias.

Outro exemplo que pode ser citado diz respeito às paixões avassaladoras, que deixam os envolvidos totalmente cegos e qualquer acontecimento, se fecham em um egoísmo a dois, o que também pode acabar em tragédia, já que o parceiro (a) muda seu comportamento em relação ao outro.

O ódio também está relacionado a este tipo de obsessão. Ocorre quando o ódio que nutre um dos obsessores se torna o alimento do outro.

No livro “Nos Domínios da Mediunidade”, André Luiz apresenta o caso do Espírito Libório e de sua esposa, ainda encarnada, que continuavam sincronizados na mesma onda mental. Libório, por meio de seus pensamentos atormentava e a vampirizava, este é um exemplo de obsessão recíproca.

Fontes: O Consolador | Oliver | Espiritualismo em Foco | Leve Leia 

 

 

Por Juliana Chagas 

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

Deixe seu comentário: