QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“De nada adianta crer, se sua crença não o faz dar sequer um passo na senda do progresso.” Allan Kardec

Evangelho e Reforma Íntima

Obsessão de encarnado para desencarnado

Enviado em 29 de agosto de 2017 | Publicado por Rádio Boa Nova

Sombra de homem sentado com raios ao fundoA doutrina espírita. por meio de Allan Kardec, nos ensinou que a obsessão é uma via de mão dupla, ou seja, o processo obsessivo ocorre entre encarnados e desencarnados, entre desencarnados e até mesmo entre os encarnados.

Quando ouvem a palavra “obsessão”, muitas pessoas pensam na ideia de espíritos desencarnados perseguindo os encarnados. Porém, em diversas situações o espírito desencarnado tem como objetivo proteger a “vítima”.

No capítulo XVIII, de O Livro dos Médiuns, o codificador da doutrina espírita, define a obsessão como: Domínio que alguns espíritos podem adquirir sobre certas pessoas. Em regras, são espíritos inferiores, já que os bons Espíritos combatem a influência dos maus.

E ainda, a obsessão pode ser dividida em:

  • encarnado para encarnado;
  • desencarnado para desencarnado;
  • desencarnado para encarnado;
  • encarnado para desencarnado;
  • obsessão recíproca;
  • auto-obsessão;
  • obsessão simples;
  • fascinação

O que doutrina espírita diz sobre a obsessão de encarnado para desencarnado?

Este tipo de obsessão muitas das vezes está ligada às expressões de amor egoísta e possessivo daqueles que ainda estão encarnados e que se ficam mentalmente naqueles que desencarnaram. E esses pensamentos de dor, revolta, desequilíbrio acabam não permitindo que o desencarnado alcance o equilíbrio para enfrentar a nova situação.  

Por exemplo, a perda de um ente querido (um filho) pode desencadear a inconformação e o desespero e isso pode se transformar em obsessão que pode atormentá-lo.

Outro exemplo é a questão da briga de herdeiros pela herança. Muitos inconformados com as determinações do desencarnado se fixam mentalmente neles e passam os pensamentos de ódio e rancor.

E ainda, a inconformação pelo retorno ao plano espiritual, a saudade ou a tristeza são fatores capazes de manter prisioneiro o desencarnado.

Confira o texto: Obsessão entre encarnados

Fontes: Associação Espírita de Caridade André Luiz | Verdade e Luz.

 

 

Por Juliana Chagas 

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

Deixe seu comentário: