QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Um dos aspectos notáveis da evolução espiritual humana é que todos os doentes da alma se tornam médicos por sua vez.” Bezerra de Menezes

Artigos

Expectativas e Amizades

Enviado em 26 de maio de 2014 | No programa: Nossos Irmãos Animais | Escrito por | Publicado por Rádio Boa Nova

 Duas mulheres andando com cachorro do lado

Primeiramente peço desculpas, (já começou bem o texto), pois geralmente escrevo acompanhado de algum amigo espiritual, muito letrado e inteligente, mas hoje estou escrevendo por minha conta. Então não estranhe o leitor “atento” o estilo debochado e quase “iletrado” de minha missiva.

Quem sou eu para contar historias, nada mais que um humilde e ignorante trabalhador. O penúltimo na hierarquia divina, (já que ser o ultimo poderia dar a ideia do orgulho da  “falsa humildade”), mas gostaria de dividir com vocês um aprendizado que estou tendo a duras penas. E olha que essas penas são mais duras que das Aves do lago Estínfale…

Quando eu era mais novinho, com uns 19 anos, conheci uma pessoa que logo de cara já Antipatizei… Um moço com a cara fechada, mal encarado, como se diz por aí….

Não gostei dele, logo de cara! Mas por incrível que pareça…..com o tempo fomos nos tornando amigos. Ele, atrás daquela cara fechada, era um cara bacana e simpático, tínhamos muita afinidade, e ainda temos… Estudávamos juntos e muitas vezes saiamos para ir a Shopings e parques como todos os jovens.

Certo dia tinha combinado com ele de nós encontrarmos no Shoping Penha (já que somos da zona leste), mas eu não estava muito a fim…então falei: – Estou meio cansado não estou a fim de sair…

Acostumado com a relação com meus outros amigos, achei que ele ia “ficar numa boa” e entender…Então imaginem a surpresa, quando ele me deu uma baita bronca: – Poxa cara a gente tinha combinado e você não vai vir… que sacanagem! Esbravejou uns 10 minutos.

Eu acostumado com minhas relações de amizade, sempre superficiais, não entendia a indignação daquele amigo. Pensei sinceramente de manda-lo “passear” e que se dane a amizade….Que amigo é esse que não entende o “cansaço” do colega….

Finalmente cedi e fui ao seu encontro, mais para me sentir melhor com a culpa de não cumprir o combinado, que preocupado com meu amigo “reclamão”. Fui já disposto a terminar a amizade com pessoa tão grosseira. Chegando lá me deu uma bela bronca e depois se pós a chorar…

Confuso, perguntei: – Que foi cara… Ele me respondeu: – Meu Pai faleceu e você é o único amigo com quem posso contar e desabafar….pois sou adotado e o resto da família não gosta de mim…o único que gostava era meu pai que se foi….

Nessa hora aprendi a dar valor aos amigos e as amizades. E considero meus amigos minha família por escolha e opção! E procuro sempre trata-los com respeito e amor me colocando em seu lugar, seguindo a máxima que Jesus nós deixou; “Amai o próximo como a si mesmo”.

Lembrei dessa historia, por que ontem, uma amiga querida (espirita por sinal) me disse mais o menos o seguinte: – Você é meu amigo, não é da minha família. Com a família nós agimos de uma maneira e com os amigos não temos a responsabilidade de agir do mesmo modo! Você está confundindo as coisas.

Fiquei pensando comigo e lembrando como é difícil percebermos o semelhante, ou como diria Jesus o “Próximo”, além de nosso “UMBIGO”, digo…. do circulo das pessoas que tem o sangue igual ao nosso e fazem parte de nossa família. Nessa hora lembrei desse meu amigo que me ensinou uma lição tão preciosa, que mudou a maneira de ver a vida!

Quantas vezes nossos “amigos” (que não fazem parte de nossa família carnal, mas que nada impede que façam parte de nossa família espiritual), são aqueles que mais nos apoiam e entendem. Não, não pensem que minha família é “horrível”, pois não é, mas como qualquer outra tem seus defeitos e limitações, só eu sei como é duro tentar ser vegano em meio a tantos carnívoros….

Mas não falo por mim, ou por esse meu amigo que foi abandonado pela “família de sangue” e adotado por outra “família” em que ele só sentia apoio e amor no pai, falo pelas crianças abandonadas nos orfanatos, os idosos abandonados nos asilos, todos eles que possuem uma “família carnal” que se os vem visitar não passa de pura obrigação. Que quando não é para mostrar à sociedade é para diminuir o peso em suas consciências e lhes dar mais uma semana de ilusória paz. Isso sem falar nos cães e gatos comprados de criadores e abandonados nas ruas.

Para quem não sabe sou voluntário em uma casa de crianças com deficiências físicas, muitas delas com alterações incompatíveis com fala e movimento, mas outras que praticamente só estão em cadeiras de rodas e poderiam (com algum esforço) conviver normalmente em uma família.

O que vejo lá me faz ter muita duvida sobre os laços de sangue chamado “família”…

A maioria delas é encontrada nas ruas, abandonadas, mas outras são levadas ate a instituição e “abandonadas”, ou poderíamos chamar de outro nome uma mãe que não vem visitar o filho a mais de 10 anos. E essa é a pior situação, quantos deles pedem para escrever a mãe, aos irmãos e irmãs na esperança de reverem os familiares, sem nenhuma resposta.

Tem um desses amigos que toda semana diz: “para eu não faltar semana que vem que sua mãe vem busca-lo para ir para casa e ele quer se despedir de mim”. E já se vão mais de 4 anos nessa mesma esperança, sem nem sequer uma visita.

Por isso sempre acho que amizade é compromisso, é seriedade, não é uma relação que pode se dispensar como se faz quando se paga por um serviço, não é a mesma coisa que você chegar sempre no mesmo posto de gasolina, fazer brincadeirinhas com o frentista, pagar e sair fora. Amizade é coisa seria e importante, pelo menos ao meu ver.

Como todo relacionamento tem suas alegrias, tristezas, seus compromissos e o mais importante: uma troca de amor. Sim amor….e que muitas vezes não vemos na família de sangue.

Como exemplo “invoco” mais uma vez as crianças deficientes físicas que vou visitar uma vez por semana. Tenho amizade e carinho por elas, e como vou uma vez por semana visita-las e são poucas ou nenhuma visita que recebem, elas ficam aguardando a semana inteira.

Quando por qualquer motivo não posso ir ao dia combinado, procuro ir antes ou avisar, pois a falta com o compromisso traz uma desilusão, e mesmo sofrimento, muito grande. Amizade é coisa seria….

Todo relacionamento é “coisa séria” mesmo familiar, mas não só familiar. Ou vamos continuar a “unicamente” nos preocupar com nossos filhos, que estão em uma boa escola, em vez de se preocupar com a educação da população do Brasil.

Vamos ficar felizes de estarmos comendo em um belo rodízio de carnes e pratos, sem nos preocuparmos com os animais que são mortos para que aqueles pratos sejam feitos, e além disso, com as pessoas que estão morrendo de fome por aí.

Tudo isso para que vocês entendam, o quanto é importante a atenção que vocês dão aos seus amigos independente da espécie, família carnal ou espiritual. Nenhuma amizade é dispensável, todo relacionamento vale a pena ser trabalhado e melhorado, fácil é desistir, difícil e a “tal” Reforma Íntima, que não ocorre só dentro das pessoas, mas em seus relacionamentos e convivências.

 Assim para terminar a “amadorística missiva” só me resta agradecer a todos os meus amigos: espíritos, humanos e animais pela amizade e principalmente paciência!

 

Foto ilustrativa: morguefile.com

Deixe seu comentário: