QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Não exijas dos outros qualidades que ainda não possuem.” Chico Xavier

Artigos

Marcas da obsessão

Enviado em 16 de setembro de 2013 | No programa: Desafios e Soluções - Obsessão | Escrito por Mário Mas | Publicado por Rádio Boa Nova

Qual o grau de autoconhecimento que possuímos? Somos zelosos por nosso mundo íntimo, como somos com nossos pertences? Criança de costas, olhando para a janela em um quarto escuroSe alguém trocar os seus sapatos ou a sua calça, você vai perceber? Provavelmente sim, não é? E quando se trata de nossas faculdades mentais? Não percebemos quando estamos tendo pensamentos estranhos? Não notamos quando somos torturados por lembranças sem tanta importância? Conseguimos distinguir pensamentos pessoais daqueles que são estranhos, atípicos?

É isso o que acontece na obsessão espiritual e na auto-obsessão. Na obsessão espiritual nosso mundo mental é invadido por outra personalidade, um desencarnado ou encarnado. Na auto-obsessão, somos possuídos por traços de personalidade que fomos no passado ou por conflitos do presente. Por exemplo, se numa vida anterior você foi um autoritário e vivenciou esta condição durante muito tempo, esta característica ficou incorporada (temporariamente) em sua personalidade.

Hoje, você pode ser dominado por aquela característica anterior: ser autoritário, mandão, exigente… Eu conheci uma mulher que foi dançarina do ventre numa vida passada, ela utilizava a dança para seduzir homens. Na existência atual ela é casada, têm filhos, não tem o corpo de uma jovem, porém continua atraindo olhares masculinos. Por quê? Por causa da energia viciada do passado!

No livro Nos Bastidores da Obsessão, Manoel P. de Miranda dá a seguinte descrição do envolvimento obsessivo:

“Quando você escute nos recessos da mente uma ideia torturante que teima por se fixar, interrompendo o curso dos pensamentos; quando constate, imperiosa, atuante força psíquica interferindo nos processos mentais; quando verifique a vontade sendo dominada por outra von­tade que parece dominar; quando experimente inquietação crescente, na intimidade mental, sem motivos reais; quando sinta o impacto do desalinho espiritual em franco desenvolvimento, acautele-se, porque você se encontra em processo imperioso e ultriz de obsessão pertinaz.”

Deixe seu comentário: