QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Mediunidade é a faculdade humana, natural qual se estabelecem as relações entre homens e espíritos.” Centenário de J. Herculano Pires

Artigos

Nutrição Funcional

Enviado em 20 de junho de 2016 | No programa: Allegrum Vivi | Escrito por Joely Pucci | Publicado por Juliana Chagas

A Nutrição Funcional é uma forma mais dinâmica e integral de abordar, prevenir e tratar desordens crônicas através da detecção e correção de desequilíbrios que geram as doenças.

Prato de salada

Estes desequilíbrios se manifestam a partir de uma alimentação inadequada, do ar que respiramos, da água que bebemos, da falta de atividade física e dos traumas que são processados pelo corpo, mente e espírito. A Nutrição Funcional possui cinco princípios básicos:

  1. Individualidade bioquímica: Considera a importância das necessidades individuais, dos fatores genéticos, bem como os sinais e sintomas apresentados pelo individuo. Grande parte da expressão dos genes depende do meio ambiente, portanto cada um pode apresentar necessidades e carências diferentes de acordo com o ambiente ao qual está exposto.
  2. Tratamento centrado no paciente: O tratamento é direcionado ao paciente e não à doença, o oposto da medicina tradicional. Torna-se mais importante saber que paciente tem a doença do que saber que doença o paciente tem. O paciente deve ser abordado como um conjunto de sistemas que se relacionam entre si e que sofrem influências de fatores ambientais, emocionais, sócio culturais, além de hábitos alimentares, história individual de doenças pregressas e uso de medicamentos, hábitos de vida e atividade física.
  3. Equilíbrio nutricional e biodisponibilidade de nutrientes: Nós não somos apenas aquilo que comemos. Somos aquilo que comemos, digerimos, metabolizamos e absorvemos. E todo esse processo fisiológico deve ser compreendido para uma boa nutrição. É importante a oferta de nutrientes em quantidades adequadas e em equilíbrio com todos os outros, para que haja otimização da sua absorção.
  4. Inter-relações de fatores fisiológicos: Todas as funções de nosso corpo estão interligadas. A Nutrição Funcional considera a inter-relação mútua de todos os processos bioquímicos internos, de forma que um influencia no outro, gerando desordens que abrangem os diversos sistemas. A organização do raciocínio é baseada na busca da compreensão dos desequilíbrios, atuando na causa, ao invés de apenas controlar sintomas.
  5. Saúde como vitalidade positiva: A saúde não é meramente a ausência de doenças, mas sim o resultado de diversas relações entre os sistemas do corpo, tanto físicos, mentais e emocionais. A Nutrição Funcional busca a saúde através do equilíbrio do organismo, restaurando sua energia e vitalidade.

Em diversas situações a Nutrição Funcional pode fazer o diferencial para o sucesso do tratamento: obesidade, hipertensão arterial, diabetes, dislipidemias, esteatose hepática, gastrite, refluxo esofágico, constipação intestinal, síndrome do intestino irritável, osteopenia, osteoporose, depressão, síndrome do pânico, distúrbios de sono, enxaqueca, fadiga crônica, déficit de concentração e memória, hiperatividade, desordens da tireoide, doenças autoimunes, vitiligo, psoríase, alergias, rinite, asma, cistites de repetição, candidíase crônica, tensão pré-menstrual, fibromialgia, ovários policísticos, etc.

 

Foto ilustrativa: freeimages.com

Deixe seu comentário: