QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Um dos aspectos notáveis da evolução espiritual humana é que todos os doentes da alma se tornam médicos por sua vez.” Bezerra de Menezes

Artigos

O que é estar na moda?

Enviado em 20 de dezembro de 2013 | No programa: Ser é Sentir | Escrito por Marli Rodrigues | Publicado por Rádio Boa Nova

retro-tv-iconNo programa do dia dessa sexta-feira (20/12), abordei alguns aspectos da questão moda, e como foco principal nosso tema foi a televisão no quarto e o quanto este modismo (como tantos outros), é nada saudável. 

E apenas para reforçar, lembro que quarto não é, nunca foi e nunca será lugar para qualquer tipo de eletro eletrônicos, mesmo desligados, são prejudiciais. Isto vale para quem quer ter vida saudável. 

O que ficou faltando falar e reconheço que é assunto delicado de se abordar, mas que eu entendo ser necessário é o argumento de alguns casais que dizem não poderem abrir mão da TV no quarto, por gostarem de assistir filmes (ditos) adultos e que ajudam a aquecer o relacionamento íntimo. 

A estes, o que tenho a dizer é que precisam com urgência, rever o relacionamento em si, pois não creio que quando se conheceram, para se sentirem atraídos, e com vontade de trocar carícias,  precisavam assistir algo que estimulasse sua libido.

E se alguém vai argumentar que com os anos e a idade esta mesma libido muda, sim é verdade, ela muda, mas precisar de estímulo externo é sinal de que o relacionamento está doente, ou até mesmo agonizando, e que os parceiros deixaram de se olhar com carinho, respeito, admiração ou talvez este olhar jamais tenha existido.  

A carga vibratória com que estes filmes estão impregnados; levar isso para dentro do seu quarto; preencher seu mental com este tipo de estímulo? “Ah! Marli isso é de cada um, você quer que me sinta culpado (a)?” 

Meu objetivo é levar informação e consciência, o que você fará com ela é uma decisão sua que eu sempre respeitarei, ainda que discorde dela. 

Jamais quero ser dona da verdade, mas levantar pontos de vista, questionamentos, pois creio que é assim que todos nós crescemos.

Até a próxima 

Marli Rodrigues

Deixe seu comentário: