QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“De nada adianta crer, se sua crença não o faz dar sequer um passo na senda do progresso.” Allan Kardec

Artigos

Os valores eternos – Parte 4

Enviado em 10 de março de 2015 | No programa: | Escrito por José Augusto Pinheiro | Publicado por Rádio Boa Nova

Boneco com caneta na mão

A palavra crise pode ter dois significados: perigo e oportunidade. Faça a sua escolha, mas antes leia este capítulo da série que está expondo as principais características das grandes riquezas da vida. O texto original é de autoria de Napoleon Hill, publicado no livro “Você pode fazer os seus milagres”.

Acesse as primeiras riquezas.

9. Mente aberta a qualquer assunto – “A tolerância se expressa apenas nas pessoas que possuem mente aberta a qualquer assunto, em relação a todas as situações. Somente a pessoa que mantém a mente aberta torna-se verdadeiramente instruída e preparada para usar as doze riquezas da vida. Uma mente fechada atrofia e corta a linha de comunicação entre o indivíduo e a Inteligência Infinita. Uma mente aberta mantém o indivíduo eternamente em processo de educação e aquisição de conhecimentos”.

10. Autodisciplina – “A pessoa que não tem domínio de si mesma jamais poderá ter domínio sobre coisa alguma. Quem tem domínio de si próprio pode tornar-se senhor de seu destino terreno, comandante de sua alma. A maior forma de autodisciplina consiste em expressar a humildade de coração quando se tiver conquistado grandes riquezas ou abençoado o reconhecimento geral pelos serviços prestados. A autodisciplina é o único meio pelo qual se pode tomar posse completa da mente”.

11. Capacidade de entender as pessoas – “A pessoa que é rica na compreensão de outras pessoas reconhece que todos são fundamentalmente iguais, pois evoluíram da mesma raiz; e todas as atividades humanas, boas ou ruins são inspiradas pelas motivações básicas da vida – como a emoção do amor, o desejo de ganhos materiais, o desejo de liberdade de pensamento, o desejo de reconhecimento e auto-expressão, o desejo de perpetuação da vida depois da morte física. Para entender os outros, o homem precisa entender a si mesmo”. Na próxima semana, o final desta história.

 

Foto ilustrativa: e3blog.vagasestacio.com.br

Deixe seu comentário: