QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Um dos aspectos notáveis da evolução espiritual humana é que todos os doentes da alma se tornam médicos por sua vez.” Bezerra de Menezes

Artigos

Poema do Patriota

Enviado em 20 de outubro de 2016 | No programa: O Despertar da Consciência | Escrito por Sebastião Camargo | Publicado por Juliana Chagas

O Brasil está acordando para um novo amanhecer, despertando de um longo e tenebroso letargo, ou seja, o gigante pela própriaBandeira do Brasil natureza está proferindo, mais uma vez, o seu destemido grito de libertação, ante os desmandos, a corrupção, e outros tantos desacertos agrilhoadores da nação esplêndida, da gloriosa terra de promissão.

É o sol da liberdade de consciência de um povo oprimido, sendo resgatado dos raios fugidios da postergação de sua alforria e impulsionado para as margens plácidas da plenitude que o conduzirá ao berço esplêndido da grandeza moral e espiritual da pátria coração.

Um sonho intenso de imorredouras verdades nutre e norteia a mente e o coração da brava gente brasileira, envolta pelos raios vívidos do amor e da esperança que descem à terra do porvir, os quais outra coisa não são senão as imanências da Boa Nova do Cristo, esplendendo em luminescências nos céus das consciências sequiosas do saber e sinceramente comprometidas com o reto proceder.

Amor, justiça e caridade, eis o de que os brasileiros mais carecem para elevarem a terra do cruzeiro aos páramos da luz imarcescível do bem inefável. Amando, compreenderão as nuances inerentes à própria vida; com a justiça, estabelecer-se-ão as diretrizes da corrigenda enobrecedora e, mediante a caridade,  libertar-se-ão as mentes imaturas das garras da ignorância e da infrutífera dependência que, via de regra, estiola os corações empobrecidos das luzes próprias do vir a ser.

O futuro do Brasil e dos brasileiros espelhará a sua grandeza de caráter, de honestidade, de solidariedade, de fraternidade e de amor equânime, pois, em sentido profundo, somos todos um.  Desse modo, os filhos e as filhas das terras de Santa Cruz poderão dizer, em alto e bom som, por amor à pátria querida: “Terra adorada, entre outras mil, és tu, Brasil, ó pátria amada!

Somos agraciados por sermos os filhos deste solo! És a mãe gentil de todos os que contigo ombreiam na tarefa da construção de um país amorável por excelência, mais justo e responsável, em decorrência do seu proceder impoluto, livres e felizes por serem e viverem o amor sem condição, sob a égide do bem supremo, em que cada cidadão aprendeu, compreendeu e caminha ancorado e sustentado pelas próprias luzes (amor e instrução), graças a ti e às imorredouras lições em teu seio ministradas.

Antes dependentes e deitados em berço esplêndido, agora intitulados patriotas, conscientes e operosos, por fidelidade e gratidão, ofertam-te os substratos do que de mais belo e de mais nobre possuem, como um gesto de amor extremo a ti, ó Pátria por todos amada, oásis que será eternamente lembrado, em face das riquezas de sua fauna e de sua flora, de suas jazidas inesgotáveis e de seus mares de recursos inexauríveis.

Esse preito de gratidão que cresceu em suas almas são inerentes às luzes advindas das profundezas inefáveis do reino de Deus em tudo e em todos, por serem todos integrantes de uma mesma seara, de um mesmo celeiro, o coração do mundo, a pátria de todos os povos.

Em suma, o Brasil, sob a regência e a batuta do amor sem jaça e do bem supremo que o expressa, será o símbolo vívido das sempiternas verdades, fonte de luz e de esperança para as demais nações ou povos que, nele, sorverão, nos estoques copiosos dos seus celeiros, as bases fundamentais da pátria do Evangelho: Amor, Justiça e Caridade.

 

 

(Fonte de inspiração: Hino Nacional Brasileiro – Compositor Poema: Joaquim Osório Duque Estrada / Música: Francisco Manoel da Silva)

(Poema estruturado durante a viagem de Três Lagoas/MS à Vitória da Conquista/BA, em seis de outubro de dois mil e dezesseis)

 

Foto ilustrativa: freepik.com

Deixe seu comentário: