QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Um dos aspectos notáveis da evolução espiritual humana é que todos os doentes da alma se tornam médicos por sua vez.” Bezerra de Menezes

Artigos

Prevenção do Câncer de Próstata

Enviado em 27 de novembro de 2014 | No programa: Rádio Revista André Luiz | Escrito por Maria Izilda Netto | Publicado por Rádio Boa Nova

Estamos em Novembro Azul, o mês internacionalmente dedicado às ações relacionadas à prevenção do câncer de próstata (uma glândula exclusiva do gênero masculino) e à saúde do homem.

Símbolo do novembro azul

Devido ao Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, celebrado dia 17, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), em parceria com Instituto Lado a Lado pela Vida, intensificam a campanha Novembro Azul, que alerta sobre os riscos da doença e visa incentivar os exames de rotina masculinos.

Segundo o Ministério da Saúde, o câncer de próstata está na segunda posição no ranking das doenças mais comuns entre os homens, atrás apenas do câncer de pele.

Parece algo simples de se convencer, mas existe um grande problema, o exame do toque retal associado à falta de exame mais eficiente do que a simples dosagem do PSA.

Fora o machismo latente em muitos homens, o medo do resultado dar positivo para câncer afugenta o interessado.

Ainda temos muito o que fazer, o câncer de próstata é o mais frequente no homem, mas perfeitamente curável sem sequelas se descoberto em tempo.

Uma grande vantagem para os homens é que seu crescimento, em geral, é lento, e o risco de morte é baixo, em 10 anos não passa de 7%, tudo para nos ajudar. Essas características nos dão grande chance de cura total.

O urologista Ricardo Libório ressalta que os homens devem procurar fazer o exame de toque da próstata aos 40 anos de idade. Depois deste primeiro exame, recomenda-se o intervalo de cinco anos para um novo exame. A partir dos 70 anos o exame retal deve ser feito de seis em seis meses. “O homem deve procurar fazer o exame a partir dos 40 anos de idade. Não precisa estar sentindo nenhum problema para procurar o exame. Se ele sentir alguma dor óssea já é sinal que o problema avançou”, disse Libório.

O especialista disse que ainda que mesmo que o exame de sangue não aponte nenhuma interferência é recomendável fazer o exame retal. “Mesmo se o exame de sangue (PSA) der um resultado normal é recomendado fazer o exame de toque, pois, 27% dos pacientes que fazem o exame de sangue têm câncer de próstata”.

Além dos exames de toque retal e de sangue, uma boa noite de sono não só contribui para a melhoria da saúde em geral, mas pode ajudar na prevenção deste tipo de câncer, como explica Renata Federighi, consultora do sono.

A qualidade do sono está diretamente ligada à qualidade de vida. Enquanto dormimos, o corpo produz hormônios e substâncias que desempenham papéis vitais para o bom funcionamento das funções fisiológicas e psicológicas do organismo.

Um estudo feito pela Universidade Harvard, nos Estados Unidos, observou que níveis satisfatórios de melatonina (hormônio do sono produzido durante a noite e responsável por manter diversas funções do organismo em ordem) reduziriam o risco de homens desenvolverem câncer de próstata.

Para chegar nessa conclusão, 928 voluntários responderam a questionários relacionados aos seus hábitos de sono e tiveram amostras de urina coletadas para que fosse verificado o nível de melatonina ao acordar.

Durante o estudo, os especialistas notaram que indivíduos com dificuldade para dormir apresentavam menos melatonina em comparação aos que não enfrentavam problemas no momento de repousar.

Além disso, 111 participantes foram diagnosticados com câncer de próstata. No entanto, naqueles que acordavam com altos índices do hormônio do sono, a probabilidade de apresentar a doença se mostrou 75% menor.

Várias pesquisas demonstraram diferenças nos homens ativos quando comparados com sedentários no aparecimento e cura desse problema. Chegou a 30% a porcentagem de diminuição de morte pelo câncer em indivíduos ativos.

Segundo Stacey Kenfield grande pesquisador da Universidade de Harvard e do Centro de Pesquisas do Hopsital Brigham and Women’s Hospital, ambos de Boston, os portadores de câncer de próstata, depois de serem diagnosticados, ao fazerem no mínimo 15 minutos diários de exercícios aeróbicos moderados, como caminhadas, corridas e ciclismo, tiveram mudança positiva na qualidade de vida.

Funcionou como verdadeira química antidepressiva comum nesses casos. Mais tempo de atividades físicas e mais intensas, como no trote, isto é mais de três horas por semana, foi importante na prevenção desse tipo de câncer, como também na saúde em geral, como já sabemos.

 

Foto ilustrativa: tribunademuriae.com.br

Deixe seu comentário: