QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“A caridade dos Céus é fonte que não se esgota.” Auta de Souza

Artigos

Promessas e Penitências

Enviado em 24 de junho de 2014 | No programa: Rádio Revista André Luiz | Escrito por Maria Izilda Netto | Publicado por Rádio Boa Nova

Desde as eras mais remotas, instituíram-se as oferendas para agradar a Deus e aos santos a fim de obter benefícios de ordem material. Tais atos, por exemplo, eram habituais no Templo de Jerusalém e, por sua inutilidade, foram objeto de censura do próprio Jesus.

Pessoa ajoelhada de costas

Por isso a recomendação do Cristo que, antes de fazer a oferenda, deveríamos nos reconciliar com o adversário. 

As promessas tiveram uma razão de ser, devido à falta de esclarecimento espiritual das pessoas que as praticavam. 

Segundo o dicionário da língua portuguesa, a palavra penitência faz referência a arrependimento, remorso de haver ofendido a Deus. Já o sacrifício tem o sentido de fazer “alguma coisa sagrada”.

De um modo geral as penitências são caracterizadas por provações que aproximam, de alguma forma, o homem de Deus. 

Os amigos espirituais em “O Livro dos Espíritos” quando perguntados em que consiste, segundo os ensinamentos cristãos, a verdadeira penitência, nos responderam o seguinte:

“….A penitência, tal como a entendia Jesus, não consiste na reclusão em claustros, nos cilícios e em outras tribulações materiais. Ela consiste no arrependimento sincero e profundo e no propósito firme em que a criatura se coloca de não tornar a cometer faltas e, ao mesmo tempo, esforçar-se por reparar as já cometidas.”

Quanto às promessas, observa-se que o pagamento delas quase sempre está condicionado a despesa ou sacrifício das pessoas. Só depois de recebido o favor é que vem o pagamento, ou seja, ofertando ao santo todos os tipos de velas entre outras coisas ou fazendo penitências de todas as formas. Se para nada se aproveita, que sentido pode ter para as divindades a despesa ou o sacrifício das pessoas? Poderíamos fazer uma trova dizendo: A luz que ilumina a alma é somente a da oração, porque a luz da vela acesa, só gera mais poluição”. 

Até que ponto as penitências são válidas? 

Buscando a resposta em O Livro dos Espíritos, na pergunta 720, no Capítulo V – “Da Lei de Conservação”, temos:

– São meritórias aos olhos de Deus as privações voluntárias, com o objetivo de uma expiação igualmente voluntária?

“Fazei o bem aos vossos semelhantes e mais mérito tereis.”  

Analisando as afirmativas contidas em “O Livro dos Espíritos”, observamos que a visão do Espiritismo com relação às penitências, difere de outras religiões. Para a Doutrina dos Espíritos, as privações somente são válidas quando afastam o homem das futilidades materiais que nada acrescentam na evolução do Espírito, entretanto, deve ser um exercício contínuo na busca pelo progresso moral. 

A conclusão a que nos leva o Espiritismo é que a energia e o dinheiro gastos em rituais, privações, flagelos deveriam ser usados para a ajudar o próximo, pois que essa energia tem seu gasto recompensado porque se fundamenta na caridade sem egoísmo e sem esperar retribuições. 

Você está grato a Deus por algo bom que lhe aconteceu, por uma conquista que considera ter alcançado em virtude do amparo da Espiritualidade Superior? Por que não demonstra a sua gratidão fazendo caridade a alguém que esteja necessitado? 

Os “santos e santas” das diversas igrejas espalhadas pelo mundo moderno, foram homens e mulheres que existiram de verdade, mas que souberam conduzir bem sua vida na Terra com atitudes de caridade que deveriam servir de exemplo aos seus devotos. 

Entretanto,  a maioria não segue esses exemplos de amor ao próximo, lembram-se deles apenas para pedir: emprego, curas, resolução de problemas financeiros , problemas no casamento, pedir, pedir…, etc. 

É comovente ver a fé das pessoas mais simples, mas os que já conseguem entender o verdadeiro sentido da fé (…”a fé sem obras é morta”…), devem mudar seu modo de pensar e agir para que possamos mudar séculos de ignorância. Só assim cresceremos e ajudaremos os que convivem conosco a crescer. Enquanto isso, muitos continuam comercializando diversos objetos em nome dos “santos”. 

Precisamos nos lembrar que Jesus repreendeu o comércio no templo religioso, entretanto, estamos marcando passo há séculos porque nos acomodamos com certos dogmas e rituais religiosos, acreditando que possam agradar a Deus sem perceber que o que agrada a Ele é a nossa mudança de atitude no dia a dia! 

Que nossa penitência seja sempre a de esforçarmo-nos para melhorar e combater os nossos defeitos e, nossa promessa, a de trabalhar pelo semelhante para ajudar na harmonia do mundo. O resto é tempo perdido e pura ilusão. 

A evolução espiritual é o objetivo e sem o conhecimento continuaremos fazendo barganha com Deus, Jesus, Maria e outros, através das promessas: “se eu te der isso, espero que você me dê aquilo”, nas caminhadas com cruzes nas costas, com os dízimos absurdos e mal administrados, com as promessas pagas, ao invés de retribuir o bem recebido fazendo bem ao próximo e a nós mesmos, procurando mudar nossas atitudes, crescendo e amadurecendo de forma consciente para sabermos lidar com a vida e seus desafios em nosso dia a dia! 

Para finalizar, devemos,entender que quem deseja progredir, que trabalhe e estude sempre e muito. Quem deseja ter felicidade, que modifique sua maneira de ser e de pensar.

Convém recordar a passagem da mãe que pediu ajuda ao preto velho para seu filho passar nos exames escolares. O bom homem orientou: “Fala pro menino enfiar a cara nos livros, dia e noite, que preto velho vai ajudar”. Receita simples para o sucesso! Imaginar que podemos comprar nossa reforma íntima com uma vela acesa, um buquê de flores ou uma penitência sem proveito é pura tolice.

Que possamos trocar a “promessa” pelo “compromisso”, ou seja, ao invés de prometer algo a Deus ou ao “santo” por um favor recebido, que consigamos nos comprometer com Deus a conquistar, pelo esforço próprio o nosso aprimoramento e nossa felicidade, colaborando dessa maneira, para o nosso próprio bem, do próximo e de um mundo feliz.

Jesus já ensinava: “Ajuda-te e o Céu te Ajudará”. 

Quem quer receber o bem, faça o,bem!!! 

Não há outro caminho!!!!

 

Foto ilustrativa: alfaiasdavida.blogspot.com

Deixe seu comentário: