QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“A alegria do próximo começa muitas vezes no sorriso que você lhe queira dar.” André Luiz

Artigos

Quintal de terra

Enviado em 13 de dezembro de 2017 | Escrito por Antonio Carlos Tarquinio | Publicado por Rádio Boa Nova

Mulheres de costasFazia muito calor, e já tinha algum tempo que eu arquitetava efetuar uma limpeza geral no quintal. Quintal de terra sabe como é, quando menos se espera o mato cresceu e junto com ele todas as mudas plantadas.

Pensei então, espero o calor do sol amansar com a aproximação da tarde, e mãos à obra.

Dito e feito.

Interessante como nesses momentos descobrimos a grande porção de trabalho que nos cabe realizar.

A flor-de- papagaio estava enorme. A azaleia havia se espalhado por todos os cantos do terreno. A cerejeira japonesa, sabe aquela que dá flores que são uma lindeza? Ela também andou expandindo seu território pelo jardim.

Fui surpreendido também com algumas novidades. O pé de maçã – você sabe o quão difícil é ele ir para frente com este tempo de São Paulo – parece que logo, logo vai frutificar.

A figueira “tá linda de morrer” apresentando vários botões nas pontas de seus galhos, nem sei se é bem esse o nome que se dá a isso.

A alamanda de cor rubra, até que enfim, voltou a florir, e a amarela recuperou-se depois do acidente que envolveu um tronco morto de cedrinho que despencou para o chão, levando-a junto com ele.

Enquanto eu podava aqui e ali, um canário da terra passou por mim com voo apressado para diante alojar-se entre as folhas de árvore situada à frente de nossa vivenda.

O repentino acontecimento foi como um chamado para mim – assim como se abrisse uma porta para que eu contemplasse o mundo com outros olhos -, posto que registrei a partir do instante sons de outros pássaros vizinhos que mais pareciam melodias a encantar o final da tarde.

Por um breve momento vislumbrei todos os seres ao meu redor como estivessem mergulhados numa paz infinita. E tive a sensação de que tudo é assim como é por ser assim mesmo – por pura gratuidade.

O mundo continuava lá.

Meu quintal também.

No entanto, era inegável o fato de que pelo menos por um pequeno lapso de tempo meu sentimento do mundo havia se alterado significativamente.

Lembrei-me de imediato do convite de Paulo o apóstolo da gentilidade: “transformai-vos pela renovação de vosso modo de sentir…” Romanos, 12:2.

Antonio Carlos Tarquínio

Deixe seu comentário: