QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“A caridade dos Céus é fonte que não se esgota.” Auta de Souza

Artigos

Sabedoria

Enviado em 23 de abril de 2017 | No programa: Pensamento e Vida | Escrito por Antonio Carlos Tarquinio | Publicado por Rádio Boa Nova

Há quem diga que a sabedoria é totalmente desnecessária por tratar de meras obviedades.
Para ser sereno, deve-se evitar a inquietação, para ser feliz, afastar-se da infelicidade.
Pronto: é isso. Nada mais é preciso na visão deles.

saude-mentalDizem ainda que qualquer pessoa medianamente inteligente sabe estas coisas corriqueiras, sem precisar obrigatoriamente, aproximar-se da sabedoria para compreendê-las.

No entanto, apesar do caráter claro-diáfano das regras do bem-viver, verifica-se por toda parte carga excessiva de sofrimentos, dores e angústias, tanto nos cultos e inteligentes do mundo, quanto nas pessoas consideradas em outras categorias que as da cultura e da inteligência superiores.

Isso acontece porque para nós outros, não basta tão somente viver – pois, há mister de que todos os homens se aprimorem na arte da vida, ou seja, saber-viver é imprescindível, é essencial.

Evidentemente, não há como negar a existência de pedras e de espinhos em nossas sendas; entretanto, quando somos chamados a observar as causas determinantes desses flagelos do espírito à luz da sabedoria – passamos a notar que muitos desses eventos desagradáveis e aflitivos, ocorridos na estrada da existência, não possuem o teor de inevitabilidade que imaginamos.

É aí que o papel da sabedoria se torna altamente relevante.

Porque, por ela, nos conscientizamos da quantidade absurda de inquietações vazias, de sofrimentos imaginários, da pesada bagagem de agonias sem motivo que acumulamos no mundo de nós próprios – por pura ignorância – preconceitos e intolerâncias sem fim.

A boa notícia é que a partir do conhecimento da situação percebemos que podemos anular as causas desses horrores no nascedouro, isto é, em nosso campo íntimo, de modo a extirpá-los da esfera de nossa vivência.

 

Deixe seu comentário: