QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“A caridade dos Céus é fonte que não se esgota.” Auta de Souza

Artigos

Saborear a Vida

Enviado em 19 de fevereiro de 2015 | No programa: Desafios e Soluções | Escrito por Mário Mas | Publicado por Rádio Boa Nova

Nossa cultura está tão impregnada de dor e sofrimento que parece ser a única realidade da nossa existência. Somos treinados a perceber mais o sofrimento do que os momentos bons. As propagandas dos laboratórios mostram como se manifestam determinadas doenças e qual o medicamento comprar, induzindo a automedicação.

Pés no campo

 

Os parentes e amigos têm suas receitas pessoais para quase tudo. Hoje a internet disponibiliza várias informações sobre o princípio ativo, os efeitos colaterais e o preço dos medicamentos.

Quantas propagandas você conhece que ensinam a ficar alegre, esperançoso, otimista, calmo? Não me refiro àquelas propagandas mentirosas que dizem que se você comprar o produto deles será mais feliz, realizado e por aí afora.

Na sociedade de consumo a alegria custa muito caro porque depende do produto, da marca, da viagem inesquecível e, o principal, o imprescindível dinheiro.

Aprendemos que a dor é onipresente e a felicidade é comprada, ficando distraídos da apreciação e da vivência das experiências boas, gostosas, saborosas e gratuitas. Precisamos romper com esse esquema alienante que nos afasta das experiências simples e profundas, plenificadoras do existir.

Como não aprendemos a fruir as boas experiências que alimentam, saciam, temos a impressão de não ter vivido, de estarmos vazios; por isso, estamos sempre com pressa, correndo, ansiosos tentando saciar a vida. Com essa correria e ansiedade, quando defrontamos a boa experiência, ela passa sem ser saboreada.

O que é saborear? Segundo o dicionário Houaiss é:

  • apreciar o sabor de; degustar lentamente, com prazer
  • experimentar deleites; regozijar-se, deliciar-se

Precisamos aprender e treinar a saborear as experiências para nos apropriarmos delas, sentindo a satisfação, o saciamento.

Enquanto escrevia esse artigo, parei para comer. Preparei um pão com manteiga, estava uma delícia. Saboreei o gosto do pão e da manteiga separadamente e conjuntamente.

Ao mesmo tempo apreciava um vaso com plantas que minha mãe plantou há mais de 10 anos. Essas experiências foram gostosas, me fizeram bem! Não é preciso estar em Paris ou dentro de um carro importado para fruir bons momentos. Você pode saborear os mais diversos acontecimentos do seu dia a dia, como:

  • o abraço de um amigo
  • tomar café
  • andar descalço na grama
  • receber uma ligação
  • dizer que ama alguém
  • sentar-se numa praça
  • ler um bom livro
  • dar uma gargalhada
  • ir em um aniversário
  • matar a vontade de uma comida
  • o sorriso de alguém

Isso é tão complicado?

São acontecimentos raros?

Quantas dessas fontes de bem estar, alegria, gratidão, amizade, distração foram jogadas fora porque estávamos reclamando, cobrando, brigando? Assim, ficamos desnutridos de vida, de alegria, de riso, de espairecimento…

O que você está saboreando?

 

Foto ilustrativa: 1.bp.blogspot.com

Deixe seu comentário: