QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“A alegria do próximo começa muitas vezes no sorriso que você lhe queira dar.” André Luiz

Artigos

Tesouros Perdidos

Enviado em 8 de agosto de 2014 | No programa: Na Próxima Dimensão | Escrito por Equipe Programa Na Próxima Dimensão | Publicado por Rádio Boa Nova

Conversando um dia desses com um grande amigo, a quem carinhosamente chamo de “Comandante Brandão”, colocamo-nos a refletir sobre os “tesouros escondidos” na obra complementar de Chico Xavier.

Tesouro

Por exemplo, em Missionários da Luz, André Luiz depois de contemplar-nos com suas observações acerca do processo de psicografia, da epífise, do desenvolvimento mediúnico, do vampirismo, da influenciação, da oração, chegando ao socorro espiritual nos diz:

“…De modo geral, as condições de luta para os enfermos são mais difíceis à noite. Os raios solares, destroem grandes parte das criações mentais inferiores dos doentes em estado melindroso, não acontecendo o mesmo à noite, quando o magnetismo lunar favorece as criações de qualquer espécie, boas ou más… Quase ninguém no circulo de nossos irmãos encarnados conhece a extensão de nossas tarefas de socorro”.

Quem não se sente melhor em um dia ensolarado do que em um nublado ou chuvoso? Quando estamos com alguma enfermidade, porque geralmente pioramos à noite? Meu Deus! Lemos e não enxergamos, não prestamos a devida atenção, e não estudamos… Quantos “tesouros escondidos” ao nosso alcance, sem nos darmos conta?!!!

E, no decorrer de nossa conversa, ele me fez a tradução de um trecho de uma obra prefaciada com data de Março de 1918 – “The New Revelation” – do ilustre escritor e médico britânico Sir Arthur Conan Doyle, que nascido na Escócia ficou mundialmente famoso por suas histórias sobre o detetive Sherlock Holmes.

Lembremos que o fenômeno das mesas girantes não se limitava a Paris da época de Kardec, mas ocorria com grande intensidade por todo o mundo. Como nos diz Irmão José na excelente obra – Vianney, Cura D’Ars – “As mesas dançantes” chegaram a ser consideradas pelo Padre Ventura de Raulica, um dos mais brilhantes da Teologia Católica da época, como “o maior acontecimento do século!”.

Assim Conan Doyle, participando também das famosas mesas na Inglaterra nos traz as seguintes informações:

“Dois comunicadores enviaram mensagens, o primeiro deles soletrou o nome “Dorothy Postlethwaite”, um nome desconhecido de qualquer um de nós. Ela disse que morreu em Melbourne cinco anos antes, na idade de dezesseis, que ela agora estava feliz, que ela tinha trabalho a fazer, e que ela havia est

ado na mesma escola que uma das senhoritas.

Quando pedi a moça para dar uma sucessão de nomes, a mesa inclinou-se para o nome correto da diretora da escola. Isto teve a característica de um teste.

Ela veio a dizer que a esfera habitada por ela estava em volta da terra; que ela sabia sobre os planetas; que Marte era habitado por uma raça mais adiantada que nós, que os canais eram artificiais; não havia dor física em sua esfera, mas poderia haver ansiedade mental; eles eram governados; eles se alimentavam; ela tinha sido uma Católica e ainda continuava uma Católica, mas não estava melhor do que os Protestantes; havia Budistas e Muçulmanos em sua esfera, mas todos se sentiam da mesma forma; ela não tinha visto Cristo e não sabia mais sobre ele que quando estava na terra, mas acreditava em sua influencia; espíritos oravam e eles morriam em sua nova esfera antes de entrarem em outra; eles tinham prazeres-música estava entre eles.

Aquele era um lugar de luz e sorrisos. Ela disse ainda que não havia ricos ou pobres, e que as condições gerais eram bem mais felizes que na terra”.

Reflitamos bem! Inglaterra, Março de 1918. Uma esfera espiritual em volta da Terra, Marte habitada por uma raça superior a nossa, assim como traz Dona Maria João de Deus em Cartas de uma Morta; Ela estava feliz e tinha trabalho, eles eram governados, poderia haver ansiedade mental e se alimentavam; também em Cartas de uma Morta encontramos no capítulo – A Convalescença dos Desencarnados – a informação: 

“Alimentação e tratamento tudo se assemelhava estritamente ao que se pode verificar na face do orbe, até mesmo certas bagatelas que constituíam motivos de prazer para alguns, como o uso do tabaco ou de beberagens preferidas…”; 

A jovem Dorothy era católica e assim continuava, e não estava melhor que os protestantes, relata ainda que budista e muçulmanos eram os mesmos.

Olha que interessante! Alguém já ouviu nosso caro Dr. Inácio nos alertar que o plano espiritual não é espírita, como muitos pensam? Se tivermos esse entendimento, quando lá chegarmos não nos decepcionaremos.

Mas continuemos nosso estudo; ela não tinha visto o Cristo, mas percebia sua influência, não havia classes sociais, tinham prazeres e a música estava entre eles, eram felizes. E, para terminarmos atentemo-nos ao seguinte detalhe: os espíritos oravam e eles MORRIAM em sua nova esfera antes de entrarem em outra…

E, pensar que o Dr. Inácio é praticamente anatematizado no “meio espírita” por nos convidar a “pensar” sobre o assunto…

Ah! Quanto ainda temos a estudar!!!

Quantos “tesouros escondidos” nas quase 500 obras do nosso querido Chico, esperam para serem descobertos?

Não sei!

Wantuil Novaes – Tuca (colaborador do programa Na Próxima Dimensão)

 

Foto ilustrativa: www.geocaching.com

Deixe seu comentário: