O espírito se beneficia da serenidade – Tarquínio

O espírito se beneficia da serenidade, conectando-se com a serenidade das coisas no jardim da vida

Confesso, confesso.

Confesso que sinto falta de ficar à toa pelo quintal, ocupado com os afazeres corriqueiros do dia que passa sem eu perceber.

De varrer o quintal em silêncio acompanhado pelo olhar atento do Bartolomeu que deitado na varanda parece apreciar a paz da manhã até mais do que eu.

Trocar os bebedouros pendurados aqui e ali por fora da casa lavá-los e reabastecê-los para que livres pássaros nos visitem a vivenda e o jardim é quase uma prece prá mim.

Às vezes me dedico também a colher esse ou aquele fruto que se nos oferece na beleza da madurez no caminho.

Nessas manhãs tranquilas e luminosas sinto profundamente que a serenidade das coisas fala sem palavras comigo, compartilhando sua paz infinita com esse simples mortal.

Tarquínio

leave a reply

WhatsApp chat