Alimentação dos espíritos segundo a obra “Nosso Lar”

No livro “Nosso Lar”, de autoria do espírito André Luiz, psicografado por Francisco Cândido Xavier, existe um capítulo específico sobre a alimentação dos espíritos.

Há muito tempo atrás, na colônia espiritual Nosso Lar, os desencarnados se alimentavam de acordo com as suas necessidades do corpo físico.

Mas, com o passar do tempo, a administração do local não estava satisfeita com os pedidos de alimentos além das necessidades dos espíritos que ali chegavam e começaram a restringir os pedidos.

Desta forma, começaram os cortes. O objetivo do relato de André Luiz foi alertar as pessoas quanto as suas necessidades alimentícias, pois quem cometeu excessos alimentares na terra poderá continuar a fazê-los após o desencarne.

Segundo André Luiz, no livro “Missionários da Luz”, “os irmãos espirituais viciados nas sensações fisiológicas, encontram nos elementos desintegrados o mesmo sabor que experimentavam quando em uso do envoltório carnal”.

Qualquer tipo de vício ou instabilidade espiritual persiste após a morte do corpo físico. É salutar ter equilíbrio durante a encarnação para não continuar em busca do objeto obsessivo no mundo espiritual. Muitos desencarnados acabam buscando encarnados que reproduzem seus comportamentos excessivos de outrora para suprir suas necessidades espirituais. Os espíritos não consomem os alimentos ou bebidas como nós.

A nutrição acontece por meio da sensação que o encarnado emana, de acordo com a simpatia do mesmo.

Diante dessas explanações, surge a pergunta: estamos preparados para uma mudança radical na alimentação? Segundo Rubens Caspapera, comunicador do programa Allegrum Vivi, se já estamos viciados em algum alimento, podemos fazer testes para saber se conseguimos ficar sem ele.

Cascapera afirma também que existem alguns alimentos que podem causar dependência, como o leite. Ele possui uma proteína chamada caseína, responsável estimular as mesmas partes do cérebro que as drogas viciantes afetam, como a cocaína, por exemplo.

Segundo o médico, Ricardo Di Bernardi, “dependendo do nível evolutivo do espírito, e consequente densidade do perispírito, varia a qualidade do alimento ou energia que o mesmo necessita para manter suas atividades”.

Ele diz ainda que os espíritos superiores podem absorver  do cosmo os elementos energéticos (“fluídicos”) que necessitam. “Ao se colocarem em oração (no sentido mais profundo), sintonizam com níveis energéticos ainda mais elevados (freqüências mais altas) aurindo para si o influxo magnético revitalizador, alimentando suas “baterias” espirituais”, finaliza ele.

 

Fontes: Allegrum Vivi e Globo.

Para saber mais, assista:

Alimentação dos Espíritos – Allegrum Vivi

deixe um comentário

WhatsApp chat