Amélie Gabrielle Boudet – Programa Alvorada

Amélie Gabrielle BoudetQue nunca ouviu falar de Amélie Gabrielle Boudet? Conhecida como Senhora Kardec, Amélie nasceu em Thiais, França, no dia 23 de novembro de 1795. Gaby, como era chamada por Allan Kardec, era professora, poetisa e artista plástica francesa.

Amélie Boudet de Lacombe Rivail

A Senhora Kardec conheceu o codificador da doutrina espírita no circuito cultural francês e casou-se com ele em 6 de fevereiro de 1832, tornando-se assim: Amélie Boudet de Lacombe Rivail. Segundo pesquisas, Amélie tinha nove anos a mais que o marido, entretanto, devido a sua aparência jovial tanto física como espiritual, aparentava ter a mesma idade que Allan Kardec.

Apoio ao codificador da Doutrina Espírita

Allan Kardec teve total apoio de sua mulher, para que assim, ele realizasse sua missão de codificador do espiritismo. Quando tornou-se secretária, Amélie passou a estimulá-lo e incentivá-lo a não desistir de sua missão. Com isso, ela deixou de lado sua família e passou a seguir a vida com Allan Kardec, fato este confirmado pelo ele:

“Minha mulher, aderiu plenamente aos meus intentos e me secundou na minha laboriosa tarefa, como o faz ainda, através de um trabalho frequentemente acima de seus forças, sacrificando, sem pesar os prazeres e as distrações do mundo aos quais sua posição na família havia lhe deixado”.

Em entrevista ao programa Alvorada, Adriano Calsone, autor da obra “Madame Kardec”, disse que Amélie Gabrielle Boudet sempre ajudou Kardec tanto no esforço moral como intelectual. Segundo Calsone, Amélie foi uma grande força feminina para o impulsionamento para a divulgação da doutrina espírita, além de ter cuidado da organização da artes mediúnicas da Sociedade Parisiense.

Desencarnação de Allan Kardec

Após o desencarne de Kardec, Amélie prosseguiu com a divulgação da doutrina espírita, fundando a Sociedade para a Preservação e Continuidade das Obras de Allan Kardec. Graças a esta ação, a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas e a Revista Espírita continuaram existindo.

Confira algumas obras de Amélie Gabrielle Boudet

“Contos Primaveris” (1825);

“Noções de Desenho” (1826);

“O Essencial em Belas Artes” (1828)

Livro “Madame Kardec”

Após a publicação do livro “Em Nome de Kardec”, Adriano Calsone dá sequência ao seu trabalho de pesquisa e traz informações inéditas a respeito de Amélie Gabrielle Boudet.  Adquira esta obra no site da Mundo Maior Editora.

Amélie Boudet de Lacombe Rivail foi tão importante quanto Allan Kardec para a doutrina espírita.

Saiba mais sobre o assunto no programa Alvorada:

Fontes: TV Mundo Maior | Mundo Espírita

 

 

 

Por Juliana Chagas 

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

leave a reply

WhatsApp chat