Cairbar Schutel – O Bandeirante do Espiritismo

Cairbar SchutelNo dia 22 de setembro de 1868, nascia no Rio de Janeiro, Cairbar Schutel, conhecido por divulgar o espiritismo através de livros, jornais e programas de rádio, e também, como o “Bandeirante do Espiritismo”.

Filho de Anthero de Souza Schutel e de Rita Tavares, Cairbar foi batizado na Igreja Católica e teve uma infância difícil pois perdeu seus pais aos 10 anos. Então, junto com seus irmão, ele passou a viver com o avô paterno, e aos 12 anos, decidiu começar a carreira como aprendiz de farmacêutico.

Doutrina Espírita e Cairbar Schutel

No ano de 1896, mudou-se para Matão, São Paulo, e nesta cidade fez história, como político e farmacêutico. E nesta época, Schutel que estava insatisfeito com as explicações dos padres, foi procurar respostas na doutrina espírita. Durante as sessões, ele recebeu informações a respeito da vida além túmulo, convertendo-se a religião.

Em 1905, Cairbar Schutel legalizou o Grupo Espírita Amantes da Pobreza(hoje Centro Espírita O Clarim) e resolvida a difundir a doutrina espírita pelo mundo, fundou o jornal “O Clarim” e a Revista Internacional de Espiritismo – RIE.

Já entre os anos de 1936 e 1937, apesar de todas as dificuldades da época e da região, Cairbar, viajava semanalmente até Araraquara (interior de São Paulo), para proferir às suas famosas Conferências Radiofônicas.

Entre 1911 e 1937 escreveu os livros:

  • O batismo;
  • Cartas a esmo;
  • Conferências radiofônicas;
  • Histeria e fenômenos psíquicos;
  • O diabo e a igreja;
  • Espiritismo e protestantismo;
  • O espírito do cristianismo;
  • Os fatos espíritas e as forças X Gênese da alma;
  • Interpretação sintética do apocalipse;
  • Médiuns e mediunidades;
  • Espiritismo e materialismo;
  • Parábolas e ensinos de Jesus;
  • Preces espíritas;
  • Vida e atos dos apóstolos;
  • Pureza doutrinária;
  • A vida no outro mundo;
  • Espiritismo para crianças.

Cairbar não mediu esforços para publicar suas obras, adquiriu máquinas, papel, tinta e colas e outras instrumentos para a impressão, procurando sempre escolher material de primeira categoria. Desse esforço surgiu a Casa Editora O Clarim.

Cairbar Schutel desencanou em Matão, em 30 de janeiro de 1938.

 

Fonte: TV Mundo Maior

 

Por Juliana Chagas 

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

 

leave a reply

WhatsApp chat