QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Estude a si mesmo, observando que o autoconhecimento traz humildade e sem humildade é impossível ser feliz.” André Luiz

Estudo_espirita

Reencarnação compulsória existe? – Programa Livre Pensamento

Enviado em 10 de outubro de 2018 | Publicado por Rádio Boa Nova

Reencarnação compulsóriaExiste reencarnação compulsória?

A reencarnação é um assunto que gera muita curiosidade. Nós, espíritos encarnados, somos seres imperfeitos, por isso, a reencarnação é aceita como uma lei natural, que possibilita a nossa evolução. Além de nos proporcionar os reparos das nossas imperfeições.

Existe reencarnação compulsória?

No programa Livre Pensamento, Paulo Henrique de Figueiredo, disse que essa expressão “reencarnação compulsória” não pertence a Allan Kardec, ou seja, este termo não está presente no Pentateuco.

Ainda de acordo com Paulo Henrique, o que ocorre é um conflito com o que o espiritismo propõe com a tradição antiga as primeiras religiões que aceitam a reencarnação.

“A teoria das religiões sobre a reencarnação difere e muito da teoria espírita. Todas as religiões do passado vão propor que a alma foi criada perfeita, com todas as qualidades, justiça e sabedoria”.

Allan Kardec nas obras da codificação espírita nos ensina que a reencarnação acontece como se fosse instinto natural e não como um castigo de Deus.

Então, a reencarnação compulsória acontece quando afligimos as leis divinas e quando não conquistamos o livre-arbítrio. Com isso, Deus em sua infinita sabedoria, faz com que nós reencarnamos para passar por provas e expiações.

Porém, como foi citado acima, Deu não castiga, ou seja, Ele não comanda nossas escolhas ou impõe nossas decisões. Com isso, conclui-se que a reencarnação compulsória NÃO EXISTE!!

Reencarnação

A doutrina espírita nos ensina também que antes de cada reencarnação é feito o chamado “planejamento reencarnatório”. E a partir do momento que reencarnamos e passamos a ter consciência dos nossos atos, conquistamos o livre – arbítrio.

Devemos lembrar que o livre-arbítrio nos deixa responsáveis por todas as nossas nações, com isso, depende somente de nós mesmo escolher qual caminho desejamos seguir (bem ou mal).

E ainda, o livre-arbítrio é ampliado, na medida em que passamos a analisar tudo a nossa volta, o que devemos ou não fazer quando encarnados, etc.  Com isso, a liberdade vem da vontade de adquirirmos novos conhecimentos e virtudes.

Allan Kardec, diz:

“Deus nos deu pela fatalidade mesma da reencarnação, os meios de adquirir incessantemente, renovando as provas nas quais fracassamos.”

Saiba mais sobre o assunto:

 

 

 

Por Juliana Chagas 

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

Deixe seu comentário:

WhatsApp