QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

-->

“Estude a si mesmo, observando que o autoconhecimento traz humildade e sem humildade é impossível ser feliz.” André Luiz

Estudo_espirita

Fé inabalável – Conto Espírita “A Roseira de Dona Amália”

Enviado em 8 de fevereiro de 2019 | Publicado por Rádio Boa Nova

Fé inabalável - Conto Espírita “A Roseira de Dona Amália”Fé inabalável é aquela que resiste às mais duras tempestades. Esta mesma crença teve que ser fundada sob alicerces sólidos, para que nenhuma maré a derrubasse. Fé inabalável não se submete a imposição cega de dogmas religiosos, pois ela é maior que tais superficialidades terrenas.

Em muitas pessoas, a Fé inabalável é algo inato, assim como em outras é preciso muito trabalho e reflexão para ser construída. Além disso,  o sofrimento, infelizmente, ainda é o caminho percorrido pelo ser humano até a Fé inabalável.

O Conto Espírita abaixo é uma história fictícia na qual Dona Amália reflete sobre sua trajetória de vida. A princípio a personagem revive em pensamentos as situações que foram definitivas para provarem que a sua fé inabalável.

Dona Amália Ortiz teve sempre uma vida de dificuldades e Lutas. Contudo, manteve sua fé inabalável, assim como sua confiança em Deus. Com isso pode passar por todas as tempestades da vida, perseverante.

Afinal, com uma vida missionária a ensinar aqueles que pela vida dela passavam, pode com êxito contribuir com a evolução de sua família, seu marido Gabriel Ortiz e seus dois filhos, os gêmeos Pedro e Laura Ortiz.

Confira o conto sobre a professora de pintura e piano, Dona Amália Ortiz:

A Roseira de Dona Amália

O relógio marcava pontualmente cinco da tarde e eu, Dona Amália Ortiz, já estava à mesa com Dona Georgina Diniz.  Dava aula nas tardes de terça e quinta às crianças da família Diniz, uns amores.

Dona Georgia era muito arrogante e infelizmente tendenciosa as questão materiais, e torrava facilmente o dinheiro de seu falecido marido. Preocupava-se com coisas irrelevantes, como por exemplo estar pontualmente a mesa para tomar o chá da tarde.

Georgia me disse: “Minha querida Amália, como consegue com sua idade estar disposta a trabalhar?”

Georgia até sabia a resposta, mas ainda assim perguntava, pronta para me humilhar. Ela ainda tinha a coragem de me chamar de amiga.

A família Ortiz, de meu falecido sogro, tinha boas terras e fazendas muito produtivas. Porém,dias difíceis vieram e a força das coisas redirecionaram nossas vidas. Antes destes dias, dedicava meu tempo às artes, adorava pintar e tocar piano.

Tudo começou com uma complicação no parto dos gêmeos. Laura nasceu primeiro, uma linda menina saudável. A complicação veio ao descobrir que ainda havia uma outra criança a nascer.

Enfim Pedro nasceu minutos depois e aparentemente bem. Como éramos uma família de influência, o dinheiro nos proporcionou bons médicos. Eles logo perceberam que Pedro não tinha os movimentos de suas pernas.

Fé inabalável perante as tempestades

Esse dia de lágrimas não me afetaram muito, mas ao meu marido, sim. Minha Fé inabalável era inata dentro do meu espírito. Com isso pude cuidar dos meus filhos, principalmente dirigindo minha atenção a Pedro. Claro que Gabriel me ajudou pagando as melhores enfermeiras e médicos da cidade.

Eu nunca pensei que dias tão difíceis quanto aqueles poderiam vir, mas logo vieram. Assim como antes, mesmo com dias de tempestade, minha confiança em Deus manteve-se firme e minha fé inabalável.

Era de madrugada quando os capatazes de Gabriel o acordaram nos gritos embaixo da janela de nosso quarto. As plantações estavam em chamas e todos os funcionários correram para ajudar a apagar o fogo.

Lembro de forma nítida. Gabriel pegou o cavalo e saiu por meio das plantações, tentando apagar as chamas. O cavalo, porém, se queimou durante o caminho e o derrubou.

Infelizmente Gabriel teve queimaduras um pouco graves, e em virtude da queda do cavalo lhe causar outros danos. Uma lesão na coluna o deixou paraplégico. Assim como Pedro, Gabriel passou a compreender o que significava depender dos outros.

A Roseira sobrevivi aos dias difíceis

Desse dia em diante sua vida passou a ser da cama para a cadeira, da cadeira para a cama. Ele só podia ficar na varanda do casarão, mas isso apenas ocorreu após a recuperação das queimaduras.

A partir deste acidente, nossas vidas mudou. Para continuar pagando as enfermeiras e os médicos eu tive que assumir todas as responsabilidades administrativas da fazenda. Também passei a me dispor às aulas de pintura e piano e ensinava os filhos das famílias mas ricas da região.

Apesar da resistência inicial de fazer negócios com uma mulher, logo todos os nossos clientes se acostumaram. Devido ao incêndio, nossa recuperação financeira tardou a vir.

Há uma curiosidade muito grande nesta situação. Meu marido Gabriel nunca aceitou muito que eu o ajudasse, apesar de ter aprendido questões administrativas com meu pai. Outra ironia, se posso dizer assim, é que Gabriel nunca aceitou muito bem o fato de Pedro ser cadeirante e dependente.

Laura, apesar de no começo não compreender muito ser a última na lista de atenção, logo passou a me ajudar. Hoje, sentada nessa mesa, percebo que a tentativa de Georgia me humilhar não dera certo.

Foram todas as dificuldades que e vivi que me provaram uma coisa, eu sempre fui uma pessoa com uma fé inabalável. Por isso, a força da fé me manteve perseverante apesar das grandes tempestades que tentam nos derrubar.

Após refletir minha vida até o presente momento respondi Georgia da seguinte forma:

“Assim como uma roseira, os ventos mais fortes ou os dias de sol intenso podem danificar folhas e flores. Nada disso importa, pois seu caule é resistente, suas raízes fundas. Podem vir e ir ventos terríveis, em um novo dia outras rosas nasceram e a alegria irá florescer como cada botão daquela roseira.”

 

Leia também:

 

Para saber mais sobre Fé inabalável, ouça:

Fé Inabalável – Portal do Amanhã

 

 

Fonte: O Evangelho Segundo o Espiritismo, A fé religiosa. Condição da fé inabalável.

 

Escrito por: Ricardo Guelfi de Souza

Estudante de Jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi. Estagiário de Marketing na TV Mundo Maior.

Deixe seu comentário:

WhatsApp