QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Em matéria de felicidade só se possui aquela que se dá.” Emmanuel

Estudo_espirita

Livro dos Espíritos: Emancipação da alma – Programa Alma Querida

Enviado em 1 de junho de 2018 | Publicado por Rádio Boa Nova

Emancipação da almaComo acontece a Emancipação da Alma? Como vimos anteriormente no texto “Diferenças entre sonhos e desdobramento”, os espíritos encarnados têm o desejo de voltar ao plano espiritual. E esta chamada “fuga” foi definida por Allan Kardec, como “Emancipação da Alma”.

O que é Emancipação da Alma?

Emancipar-se significa libertação, tornar-se independente. A doutrina espírita nos ensina que durante nossa encarnação ficamos presos à matéria durante um determinado tempo. E está ligação termina com o desencarne, ou seja, com a morte do corpo físico. Após essa separação a alma se desliga, voltando a condição normal de espírito.

Apesar de estar preso à matéria, a alma pode se libertar, parcial e momentaneamente do corpo, isso é o que a doutrina espírita chama de Emancipação da Alma.

Como acontece a Emancipação da Alma?

Acontece durante o sono. Neste momento o espírito encarnado se desprende do corpo físico, tendo assim uma maior independência, sem influência material. E ainda, esse espírito presencia ou participa de acontecimento em ambas as dimensões da vida, além de entrar em contato com Espíritos tanto encarnado como desencarnado.

Allan Kardec, na obra Livro dos Espíritos, pergunta aos espíritos Superiores:

“Durante o sono, a alma repousa como o corpo?

Resposta: Não, o Espírito jamais está inativo. Durante o sono, afrouxam-se os laços que prendem ao corpo, e não precisando este então da sua presença, ele se lança pelo Espaço e entra em relação mais direta com os outros Espíritos”. (Livro dos Espíritos, questão 407)

E ainda, o espiritismo nos ensina também que é somente no desencarne que o Espírito se desliga do corpo físico, e que enquanto encarnado, é preciso que os seus sentidos entrem em torpor para que o Espírito ganha a sua liberdade.

“É necessário o sono completo para a emancipação do Espírito?

Resposta: Não; basta que os sentidos entrem em torpor para que o Espírito recobre sua liberdade. Para se emancipar, ele se aproveita de todos os instantes de trégua que o corpo lhe concede. Desde que haja prostração das forças vitais, o Espírito se desprende, tornando-se tanto mais livre, quanto mais fraco for o corpo”.

É assim que a sonolência ou o simples torpor dos sentidos apresenta, frequentemente, as mesmas imagens do sonho. (Livro dos Espíritos, questão 407)

Sonambulismo, telepatia, instabilidade física

Além do sono, a emancipação da alma pode ocorrer por meio de:

Sonambulismo: Nele, a alma se transporta ao local dos acontecimento, porém, pode também presenciar à distância. Além disso, vê outros espíritos e pode receber instruções.

Êxtase: é um tipo de sonambulismo, onde a alma visita mundos ou dimensões que são superiores a vida.

“O êxtase é um sonambulismo mais apurado. A alma do extático é ainda mais independente.” (Livro dos Espíritos, questão 439)

Dupla vista

“O fenômeno a que se dá a designação de dupla vista tem alguma relação com o sonho e o sonambulismo?

Tudo isso é uma só coisa. O que se chama dupla vista é ainda resultado da libertação do Espírito, sem que o corpo seja adormecido. A dupla vista ou segunda vista é a vista da alma.” (Livro dos Espíritos, questão 447)

Letargia, catalepsia, mortes aparentes

A letargia e a catalepsia têm o mesmo princípio, que é a perda momentânea da sensibilidade e do movimento, por uma causa fisiológica ainda não explicada. Diferem uma da outra pelo fato de que, na letargia, a suspensão das forças vitais é geral e dá ao corpo todas as aparências da morte.

Na catalepsia, ela é localizada e pode afetar uma parte mais ou menos extensa do corpo, de modo a deixar a inteligência livre para se manifestar, o que não permite confundi-la com a morte. A letargia é sempre natural [tem origem em causa fisiológica ou intoxicação química].

A catalepsia, em certas ocasiões, é espontânea, mas pode ser provocada e desfeita artificialmente pela ação magnética [passe]. Considerando-se que em ambas condições há paralisia, total ou parcial, a pessoa apresenta um quadro que, popularmente, foi alcunhado de “morte aparente”. (Livro dos Espíritos, questão 424)

Transmissão oculta do pensamento

“Há entre os Espíritos que se encontram uma comunicação de pensamentos que faz com que duas pessoas se vejam e se compreendam sem necessidade dos sinais exteriores da linguagem.” (Livro dos Espíritos, questão 421)

Ouça o programa Alma Querida e saiba mais sobre o assunto:

 

 

Por Juliana Chagas 

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

Deixe seu comentário:

WhatsApp