QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“A felicidade pode exibir-se, passear, falar e comunicar-se na vida externa, mas reside na consciência tranquila.” André Luiz

Estudo_espirita

Mediunidade dos animais

Enviado em 30 de março de 2018 | Publicado por Rádio Boa Nova

Mediunidade dos animais: o que a doutrina espírita tem a nos dizer?

Como vimos anteriormente a mediunidade está “inativa” em alguns, e em outros, ela é aflorada.

Foi graças a Allan Kardec juntamente com os espíritos e a equipe de médiuns, que hoje é possível compreender a utilidade da mediunidade tanto para a evolução moral como espiritual.

E o que dizer da mediunidade dos animais? Eles são médiuns?

Os animais são nossos irmãos mais novos, que além de estarem em processo de evolução, precisam de amor e carinho.  Muitas vezes, os bichinhos percebem a presença dos espíritos, até mesmo antes dos sensitivos. Com isso, eles podem ser “médiuns” como os homens?

Allan Kardec, em O Livro dos Médiuns, abordou esta questão no item 236, de acordo com o codificador da doutrina espírita, a questão da mediunidade dos animais era sempre proposta em razão de fatos que revelaram indícios de alguns pássaros educados pelo homem.

E ainda, de acordo com Irvênia Prada, no programa Ciência e Espiritualidade da TV Mundo Maior, é preciso analisar a possibilidade dos animais atuarem ou não como médiuns.

No programa, Irvênia apresentou as diferenças entre os fenômenos mediúnicos de efeitos inteligente e de efeitos físicos. Segundo a comunicadora, os efeitos inteligentes diz respeito a transmissão de mente para a mente.

No livro “Diversidade dos Carismas”, Hermínio C. Miranda, diz que  “fenômeno mediúnico, de fato, na plenitude de sua conotação semântica, é o de efeito intelectual, no qual o sensitivo funciona realmente como o canal de comunicação entre encarnados e desencarnados”.  

Portanto, a partir deste conceito, é difícil considerar um animal como médium, por mais que eles possuam inteligência, os animais não possuem capacidade intelectual.

“Para uma comunicação inteligente, há necessidade de um intermediário inteligente e esse é o espírito do médium”, diz Erasto no texto O Livro dos Médiuns.

Efeitos Físicos

Nestas manifestações os médiuns não atuam como um intermediário, mas como um colaborador do fenômeno, além de fornecer fluídos.

“O espírito precisa da matéria para agir sobre ela”, Allan Kardec, em O Livro dos Médiuns.

Ainda em O Livro dos Médiuns, o espírito Erasto diz:

“Costuma-se dizer que os espíritos mediunizam e fazem mover a matéria inerte, as cadeiras, as mesas, os pianos. Fazem mover, sim, mas mediunizar, não”.

E esclarece que os espíritos agem sobre a matéria inerte com os elementos que o médium lhes fornece:

“Assim, o envoltório fluídico mais sutil do espírito, unindo-se, casando-se, combinando-se com o envoltório fluídico mais animalizado do médium, permite ao espírito movimentar os objetos”.

Saiba mais sobre o assunto no programa Ciência e Espiritismo:

Parte I

Parte II

Parte III


 

Fontes: Wemystic e Instituto de Pesquisas Projeciológicas e Bioenergéticas

 

 

 

Por Juliana Chagas 

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

Deixe seu comentário:

WhatsApp