QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Aquele que crê em mim nunca estará sozinho.” Jesus

Estudo_espirita

Obsessão e seus sinais – Programa Rádio Revista André Luiz

Enviado em 7 de novembro de 2018 | Publicado por Rádio Boa Nova

obsessão e seus sinaisUm dos assuntos mais delicados na doutrina espírita é a: obsessão. Ela é considerada um fator primário quando a pessoa sofre ação direta de um perseguidor espiritual.  Com isso, as imperfeições morais, que dizem respeito, ao egoísmo; a vaidade; ao ciúme;etc, são definidos como fator secundário.

Allan Kardec, em O Livro dos Médiuns, nos apresenta a seguinte definição a respeito da obsessão:

“A obsessão é o domínio que alguns Espíritos exercem sobre certas pessoas. É praticada unicamente por Espíritos Inferiores que procuram dominar, pois os espíritos bons não impõem nenhum constrangimento”.

Obsessão e seus sinais

No programa Rádio Revista André Luiz, a comunicadora Stella Pavanelli disse que a obsessão diz respeito a influenciação tanto dos bons como dos maus espíritos.

“A obsessão é um processo onde um espírito domina. Ou é uma ação persistente de um espírito sobre uma pessoa encarnada”.

E completou:

“Quando você sai de uma sintonia, você abre uma brecha em seus pensamentos para que espíritos inferiores, mal intencionados, te induzirem  a terem pensamentos que não são desejados”.

Diante dessas afirmações, pergunta-se:

Como identificar quando uma pessoa está sendo obsediada?

De acordo com Stella Pavanelli, a pessoa começa a ter um comportamento, ideias, gostos que ela não tinha. E ainda, o humor começa a oscilar, ela passa a ter irritabilidade.

A obsessão pode estar relacionada também ao:

  • choro compulsivo;
  • problemas na vida financeira, no relacionamento;
  • se fazer de vítima e julgar os outros

Já em relação aos tipo de obsessão, Adriana Gallo, disse que:

Na obsessão simples, o espírito se coloca na frente do outro. Pode ser de desencarnado para encarnado, mas pode ocorrer de encarnado, por exemplo, aquelas paixões doentias.

“O espírito coloca a sua vontade acima da do outro porque ele encontra uma sintonia”.

Na fascinação, o espírito age no pensamento do indivíduo causando alucinações.

“Ele começa a ver coisas que não existe. Aquela processo simples que você não percebe gera a fascinação”.

Já a subjugação é uma fascinação mais intensa.

“Ela paralisia o indivíduo e faz com que ele aja a revelia”.

Existe saída para a obsessão?

Sim! Pense sempre positivo, faça o Evangelho no Lar, vibrações, preces. Porque, a partir do momento, em que aprendemos a nos proteger, nada nos impedirá de levarmos uma vida leve e feliz.

Saiba mais sobre a obsessão e seus sinais no programa Rádio Revista André Luiz:

Deixe seu comentário:

WhatsApp