QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Aquele que crê em mim nunca estará sozinho.” Jesus

Estudo_espirita

Os animais podem ver espíritos?

Enviado em 12 de junho de 2018 | Publicado por Rádio Boa Nova

Quem tem animal de estimação já deve ter reparado que, às vezes, o bichinho fica parado olhando para algum canto, ou até mesmo, latindo para o nada. Diante disso, pergunta-se:

Os animais podem ver espíritos?

A doutrina espírita nos ensina que os animais são como nossos irmãos mais novos, e que além deles estarem em processo de evolução e precisarem de amor e carinho. Eles podem sim ver espíritos.

De acordo com Norberto Gaviolle, no programa Boletim, da TV Mundo Maior:

“Toda e qualquer ser está inter-relacionado com a natureza. Tudo que existe nela vibra. E esta vibração da matéria irradia, gera uma onda que se locomove, atingindo assim, o que ou quem estiver próximo”.

Norberto completou:

“Os animais têm uma sensibilidade (não tão desenvolvida quanto a nossa) e percebem determinados eventos que nossos olhos não enxergam. Mas, o sistema perceptivo deles percebem, e ao perceber, eles reagem”.

Com as informações acima, perguntamos: Os animais são considerados médiuns?

Allan Kardec, em O Livro dos Médiuns, item 236, trata da questão: mediunidade dos animais, e segundo o codificador do espiritismo, isto era sempre proposto em razão de fatos que revelaram indícios de alguns pássaros educados pelo homem. Porém, é preciso ficarmos atentos em relação aos animais serem médiuns.

Confira uma passagem de O Livro dos Médiuns:

Muito freqüentemente se vêem cavalos que se recusam a avançar ou recuar, ou que se empinam diante de um obstáculo imaginário. Pois bem! Podeis estar certos de que o obstáculo imaginário é quase sempre um Espírito ou um grupo de Espíritos que se comprazem em detê-los. Lembrai-vos da mula de Balaão, que, vendo um anjo pela frente e temendo sua espada flamejando, não queria avançar.

É que antes de se manifestar visivelmente a Balaão, o anjo quis torna-se visível apenas para o animal. Mas, quero repeti-lo: não mediunizamos diretamente nem os animais nem a matéria inerte. Precisamos sempre do concurso consciente ou inconsciente de um médium humano, porque necessitamos da união dos fluidos similares, que não encontramos nos animais nem na matéria bruta.

Sabeis que tiramos do cérebro do médium os elementos necessários para dar ao nosso pensamento a forma sensível e apreensível para vós. E com o auxílio dos seus próprios materiais que o médium traduz o nosso pensamento em linguagem vulgar.

Pois bem: que elementos encontraríamos no cérebro de um animal? Haveria ali palavras, letras, alguns sinais semelhantes aos que encontramos no homem, mesmo o mais ignorante? Não obstante, direis, os animais compreendem o pensamento do homem, chegam mesmo a adivinhá-lo.

Sim, os animais amestrados compreendem certos pensamentos, mas acaso  já os vistes reproduzi-los? Não. Concluí, pois, que os animais não podem servir-nos de intérpretes.

Conclui-se que os animais podem ver espíritos, mas suas faculdades extrafísicas são mais limitadas que as dos homens, por exemplo, a capacidade de fornecer os fluídos necessários para as demais manifestações espirituais são menores.

Leia mais: Mediunidade dos animais

Para finalizar: O que nós devemos fazer quando notarmos que o nosso animalzinho está em contato com o mundo espiritual?

“É preciso elevarmos o nosso pensamento, fazermos uma prece e pedirmos para aquele ente, seja outro animal ou espírito, para que ele seja orientado e tirado dali com orientação”, Norberto Gaviolle.

Saiba mais sobre: Os animais podem ver espíritos, no programa Boletim:


 

Fonte: Estudante Espírita

 

 

Por Juliana Chagas 

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

 

Deixe seu comentário:

WhatsApp