QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

-->

“Estude a si mesmo, observando que o autoconhecimento traz humildade e sem humildade é impossível ser feliz.” André Luiz

Estudo_espirita

Penas futuras na visão espírita

Enviado em 13 de maio de 2019 | Publicado por Rádio Boa Nova

penas futuras na visão espíritaO que podemos entender por penas futuras na visão espírita?

A doutrina espírita nos ensina que a crença, no que diz respeito às penas penas, não se baseia em uma teoria preconcebida (não é um sistema que substitui outro sistema), mas sim, em constantes observações que são oferecidas pelas almas.

E ainda, o espiritismo nos ensina também que o espírito quando reencarna traz consigo tendências de outras encarnações. Com isso, é submetido às provas e expiações, e a Lei de Causa e Efeito.

Penas futuras na visão espírita

Para a doutrina espírita às penas futuras dizem respeito a Lei de Causa e Efeito.

Na obra O Céu e o Inferno, Kardec, diz que as impressões morais que estão presentes no íntimo dos espíritos são transferidas para o corpo, e assim, consequentemente para as atividades terrenas.

“Um homem não é músico porque tem o dom da música e sim tem o dom da música porque seu Espírito é músico”.

E completou:

“O Espírito, é assim, artesão de seu próprio corpo, que molda por assim dizer para adaptá-lo a suas necessidades e à manifestações de suas tendências”.

Já no que diz respeito às atitudes morais de um espírito encarnado, elas são um reflexo do grau de adiantamento moral, mais ou menos elevado, de acordo com o seu estágio evolutivo. Portanto, é possível, moldarmos, inclusive o corpo. Os pensamentos, as emoções, a racionalidade.

Lei de Causa e Efeito

Esta lei nos ensina que todo princípio gera um efeito inteligente. Caso o espírito, apto a se responsabilizar por suas atitudes, insista em suas imperfeições morais, terá penas futuras a serem saldadas.  

Portanto, só haverá penas futuras, se eventualmente, o espírito que for moralmente menos evoluído insistir nas imperfeições. Por isso, existem as provas e expiações. Ou seja, elas fazem valer os efeitos das imperfeições morais.

Como é possível diminuir as provas das penas futuras?

Através do livre-arbítrio. Deus não pune, não castiga. Como o espírito possui o livre-arbítrio, ele será responsabilizado de maneira proporcional à sua inteligência. É pelo desenvolvimento intelectual que será possível se depurar moralmente, diminuindo assim, as provas das penas futuras.

Doutrina espírita

O espiritismo permite que o espírito saia da inércia e da ignorância moral. Já que, por meio da fé, equilibrada entre a razão e a emoção, possui a capacidade de direcionar o espírito ao caminho do aprendizado e do aperfeiçoamento moral.

Portanto, desenvolva suas inteligências morais e intelectuais. E disponha – se ao estado de regeneração do planeta Terra e dos espíritos.

 

 

 

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

Deixe seu comentário:

WhatsApp