QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

-->

“Estude a si mesmo, observando que o autoconhecimento traz humildade e sem humildade é impossível ser feliz.” André Luiz

Estudo_espirita

Será que existem obsessores encarnados?

Enviado em 15 de maio de 2019 | Publicado por Rádio Boa Nova

obsessores encarnados A doutrina espírita nos ensina por meio de Allan Kardec, que a obsessão é uma via de mão dupla. Ou seja, ela acontece tanto entre os desencarnados como os encarnados.

O que é um obsessor? O que é obsessão?

De acordo com Claudio Palermo no programa Boletim, da TV Mundo Maior, em uma definição simples. A obsessão ocorre quando sentimos a influência de uma entidade, de um espírito desencarnado.

“Essa influência pode ser tanto positiva como negativa. No caso da obsessão será no viés negativo, por exemplo, um imposição”, Claudio Palermo.

Podem existir obsessores encarnados?

Ainda de acordo com Claudio Palermo, sim! E ainda, é muito comum essa questão de nós sermos obsediados.

Geralmente, os obsessores encarnados influenciam o obsediado a pensar da mesma maneira que ele. Eles influenciam o outro a agir de acordo com os seus preceitos.

Somos nós que atraímos esses obsessores?

Segundo Claudio Palermo, há duas correntes no movimento espírita. Uma parte acredita no “você atrai o que você procura”.

“Já outros acreditam que existem faixas de vibrações no mundo. E em algum momento acabamos nos conectando com essas faixas violentas, que não querem que utilizemos o nosso livre-arbítrio. Então, acabam colocando ideias, ações em nossos pensamentos”.

Existe uma maneira de saber quando ocorre esta obsessão?

Ainda no programa o comunicador completou:

“Na minha opinião, a melhor forma de saber é: quando o livre-arbítrio não está sendo exercido. Por exemplo, pais e filhos. Quando um pai sempre quer que o filho faça o que ele quer. Ele (pai) quer que o seu desejo prevaleça”.

E continuou:

“Então, quando acontece o rompimento do livre-arbítrio, podemos entender que estamos sendo obsediados por encarnados que estão à nossa volta”.

Outro exemplo que podemos citar é o amor possessivo. Quando um marido proíbe a mulher de fazer algo (trabalhar, sair com as amigas), ou então, através de uma amizade, em que o outro obriga o outro a pensar do mesmo jeito.

Vale lembrar que a inveja, a mágoa, o ódio, o rancor, são fatores que influenciam este tipo de obsessão. Já que, a pessoa possui a capacidade de dominar mentalmente o outro.

É muito importante termos autoconhecimento e estarmos atentos ao nosso redor. Temos que cultivar amigos e não obsessores. Devemos nos afastar daqueles que querem o nosso mal.

Saiba mais sobre o assunto:

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

Deixe seu comentário:

WhatsApp