QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“A felicidade pode exibir-se, passear, falar e comunicar-se na vida externa, mas reside na consciência tranquila.” André Luiz

Evangelho e Reforma Íntima

Bem-aventurados os Pobres de Espírito – Espiritismo sem Mistério

Enviado em 7 de junho de 2018 | Publicado por Rádio Boa Nova

Bem-aventurados os Pobres de Espírito - Espiritismo sem MistérioMas afinal, O que se deve entender por Pobres de Espírito? Este item do capítulo VII do Evangelho Segundo o Espiritismo nos elucida a respeito daqueles que, segundo Jesus, pertence o Reino dos Céus.

Os Pobres de Espírito, segundo Jesus, são os humildes. A doutrina Espírita, com Allan kardec, tem o compromisso de nos auxiliar na reforma íntima e moral. A humildade e o orgulho são antagônicos, porém fundamentais para a compreensão quem são, de fato, os Pobres de Espírito.

Neste trecho do Evangelho a pobreza espiritual do termo é dada justamente de forma reflexiva, pois na realidade independe das questões sociais ou de classe, nem as faculdades intelectuais. Esses “pobres” são espíritos que que sofrem preconceito por terem fé e confiança em Deus.

Os incrédulos e materialistas não entendem a fé e o Deus que está em cada um dos espíritos fiéis e confiantes. Mas, são desses o Reino dos Céus, pois os Pobres de Espíritos, salva as proporções, conseguem compreender a espiritualidade.  

Os que não a compreendem ou estão mergulhados em uma fé cega, estão quase sempre propensos a inclinarem ao orgulho. Tantos os incrédulos quanto os fanáticos colocam o seu Eu e a sua inteligência acima da razão e principalmente da perfeição divina.

Os Pobres de Espíritos, confiam em Deus, mas seguem a sua encarnação baseada na fé e na caridade. Esse fator independe de questões externas, pois eles estão em constante reavaliação e questionamento de suas próprias vidas sem se envaidecer ou elevar. Assim praticam, consciente ou inconscientemente uma fé raciocinada.

É preciso, portanto, para entrar no Reino dos Céus, ou seja, alcançar a pureza de espírito e a felicidade, estar disposto a mudar. A humildade, o amor ao próximo, a fé, a caridade; são estas as principais virtudes daqueles espíritos que conseguem apurar, encarnação após encarnação, a sua inteligência moral e evolução espiritual.

 

Leia também:

 

Para saber mais sobre o assunto, assista:

Bem aventurado os Pobres de Espírito – Espiritismo sem Mistério

 

Fontes: O Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap. VII – Bem-aventurados os pobres de espírito.

Escrito por: Ricardo Guelfi de Souza

Estudante de Jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi. Estagiário de Marketing na TV Mundo Maior.

Deixe seu comentário:

WhatsApp