QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

-->

“Estude a si mesmo, observando que o autoconhecimento traz humildade e sem humildade é impossível ser feliz.” André Luiz

Como saber se sou médium?

Enviado em 4 de fevereiro de 2019 | Publicado por Rádio Boa Nova

 

 

 

 

 

como saber se sou médiumComo saber se sou médium?

Muitos assuntos relacionados a doutrina espírita geram dúvidas nas pessoas. E a mediunidade é um deles.

Quem nunca ouviu um barulho diferente, por exemplo, algumas pancadas, ou então, teve alguma premonição?

A doutrina nos ensina que todos nós possuímos mediunidade, entretanto, enquanto em alguns ela está “inativa”, em outros ela é mais aflorada. E foi graças a Allan Kardec, junto com os espíritos e a equipe de médiuns, que foi possível compreender a utilidade da mediunidade tanto para a evolução moral como espiritual.

Como saber se sou médium?

Segundo Paulo Henrique Figueiredo no programa, Sem Dúvida, da TV Mundo Maior, quando Allan Kardec fala que todos nós somos médiuns. Ele faz referência ao fato de que todos nós temos alguma maneira de perceber a questão da espiritualidade.

“Quando a gente chega em algum lugar e percebe que não é um bom ambiente, a maioria de nós sente sente algo que nos refere a isso (mediunidade)”, Paulo Henrique de Figueiredo.

E completou:

“Há também, às vezes, em que percebemos que há alguém por perto, estamos reencontrando algum amigo ou familiar que já se foi. Essas sensações podem ser alguns sinais de mediunidade. Porém, para reconhecer realmente que uma pessoa é médium, o fenômeno tem que ser mais ostensivo, mais claro”.

Mediunidade ostensiva

A mediunidade ostensiva é aquela evidente e incontestável. Ou seja, nem o médium nem a testemunha podem negar esta natureza espiritual.

Ainda de acordo com Paulo Henrique de Figueiredo, isto pode ocorrer em todos os tipos de mediunidade, por exemplo:

  • Mediunidade de evidência

“Diz respeito àquela que algumas pessoas conseguem ver os espíritos. Muitas vezes, não diferente, mas observam passagens. Quando a evidência aparece de forma ostensiva o contato com os espíritos se torna mais evidente, Paulo Henrique de Figueiredo.

O comunicador citou outros exemplos:

  • Escrita: quando alguém vai fazer uma psicografia, ele (médium) vai colocar no papel as ideias que lhe passam pela cabeça e algumas informações que ele não vai distinguir se é dele ou não.

“Já a mediunidade mais ostensiva, a mente está livre, não há pensamento em nada. O médium se prepara para escrever e quando ele coloca o lápis no papel, as ideias vão chegando até que ele precise desenvolver o raciocínio para elaborá-las. O médium pode também chegar ao ponto de não saber o que está escrevendo”.

Para finalizar, vale lembrar que todos nós somos médiuns, porém, só vamos perceber se a mediunidade é mais ostensiva ou não, por meio do próprio fenômeno. E a mediunidade deve ser usada de modo sério, tornar-se médium é algo sério.

Seu desenvolvimento deve ter boas intenções, a fim de, servirem os bons espíritos na missão de divulgar o bem. Os bons espíritos são aqueles que tem dentro de si a humanidade e a intenção de auxiliar o progresso dos irmãos e do planeta Terra.

E lembre-se:

“Ninguém poderá tornar-se bom médium espírita se não conseguir despojar-se dos vícios que degradam a humanidade.” (Revista Espírita de 1863, p. 213)

Leia também: Desenvolvimento da Mediunidade – O Livro dos Médiuns

Confira o programa Sem Dúvida que fala sobre: Como saber se sou médium:

 

 

 

 

Por Juliana Chagas 

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

Deixe seu comentário:

WhatsApp