QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Se você possui conhecimentos superiores, ore para que não lhe falte a disposição de trabalhar.” André Luiz

Evangelho e Reforma Íntima

O argueiro e a trave no olho – Evangelho Segundo o Espiritismo

Enviado em 11 de outubro de 2018 | Publicado por Rádio Boa Nova

O argueiro e a trave no olho - Evangelho Segundo o EspiritismoA história do argueiro e a trave no olho, presente no Evangelho de Mateus, cap. VII, v. 1 a 5, nos leva a reflexão acerca do juiz punitivo e hipócrita que incorporamos vez ou outra para distribuirmos sentenças, coisa que nem mesmo Jesus o fez.

 

“Não julguem, para que vocês não sejam julgados.

Pois da mesma forma que julgarem, vocês serão julgados; e a medida que usarem, também será usada para medir vocês.

Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão, e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho?

Como você pode dizer ao seu irmão: ‘Deixe-me tirar o cisco do seu olho’, quando há uma viga no seu?

Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão.”

 

As imperfeições humanas nos leva prontamente a indicar defeitos alheios e com uma falsa abnegação nos dispomos a uma caridade orgulhosa. Entretanto, o que há de imperfeições em nós, simplesmente esquecemos e nem sequer pensamos em nos corrigir.

 

“Uma das insensatezes da Humanidade consiste em vermos o mal de outrem, antes de vermos o mal que está em nós… Incontestavelmente, é o orgulho que induz o homem a dissimular, para si mesmo, os seus defeitos, tanto morais quanto físicos.”

 

Habita em nós seres humanos imperfeições, com vícios e sombras nas quais devemos trabalhar a fim de nos depurarmos moralmente. A questão é de que pouco olhamos para nosso íntimo sendo sempre aquele que aponta e julga outrens.

Como Espíritos em Progresso, devemos compreender a história do argueiro e da trave no olho. A reforma íntima é o caminho para combatermos o orgulho, pois tal imperfeição é a cegueira à suas próprias virtudes.

Somos hipócritas ao definirmos o que é certo e julgarmos o que consideramos errado. Somos hipócritas ao condenarmos os erros alheios esquecendo os nossos. Que a história do argueiro e da trave no olho possa clarear nosso olhar racional a fim de nos melhorarmos em busca do progresso.

 

Leia também:

 

Causa das Aflições, segundo Allan Kardec

 

Doutrina Espírita: Por que escolhemos ser espíritas?

 

Sonhos Premonitórios e os “Milagres” no nascimento de Jesus

 

 

Para saber mais sobre o assunto, assista:

 

O Argueiro e a Trave | André Marouço

 

 

Fonte: O Evangelho Segundo o Espiritismo.

Cap. Bem-aventurados os que são misericordiosos “O argueiro e a trave no olho”

 

Escrito por: Ricardo Guelfi de Souza

Estudante de Jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi. Estagiário de Marketing na TV Mundo Maior.

 

Deixe seu comentário:

WhatsApp