QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

“Aquele que crê em mim nunca estará sozinho.” Jesus

Evangelho e Reforma Íntima

Qual a importância do idoso no movimento espírita?

Enviado em 13 de junho de 2018 | Publicado por Rádio Boa Nova

idoso no movimento espíritaA velhice faz parte da vida, por isso, é preciso ser paciente e amoroso com os mais velhos. No livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo” é possível encontrar a seguinte passagem:

“Honrar ao pai e à mãe não é somente respeitá-los, mas também assisti-los nas suas necessidades; proporcionando-lhes o repouso na velhice; cercá-los de solicitude, como eles fizeram por nós na infância”.

De acordo com Dados da Organização Mundial da Saúde – OMS está etapa da vida começa aos 65 anos. E levando em consideração os avanços tecnológicos e até mesmo os alimentares, é possível afirmar que aqueles que chegam a está idade vivem melhor que os antepassados.

E ainda é preciso notar que os países estão “envelhecendo”. Antigamente os idosos eram colocados em asilos, conviviam com a família sem o direito de manifestar qualquer opinião, ou então, eram consideradas velhos para o mercado de trabalho.

Idoso no movimento espírita

Porém, hoje em dia, muitas empresas os contratam por conta de suas experiências, de agregar valor ao processo produtivo, etc. Há muitos idosos que trabalham em centros espíritas aplicando passes, dando trabalhos, entre atividades.

Entretanto, muitos jovens não sabem lidar com os idosos ou vice-versa, por exemplo, um jovem faz o trabalho do mais velho porque pensa que ele não dará conta, ou então, um idoso deseja impor seus pensamentos, e com isso, não acaba aceitando a ideia do outro. Como solução, é preciso unir a sabedoria do mais velho com a energia dos mais jovens para que assim ambos ganhem conhecimento no final da experiência.

O tempo chega para todos, por isso, é importante compreender e valorizar as dificuldades dos mais velhos em permanecerem fieis a um ideal por tanto tempo, mesmo com tantos imprevistos que surgem na família, no trabalho, em outros lugares.

Pratique o respeito tanto com nós mesmo como com os mais velhos.

“(…) É justo que os filhos cooperem com os pais, embora saibamos que os mais jovens de hoje serão os mais velhos de amanhã tanto quanto os maduros de agora, desempenharão, muito em breve o papel de jovens no futuro. Tudo é sequência na Lei.” (Emmanuel – Reformador, julho/76 – 22/04/1951)

Fonte: O Clarim

 

 

Por Juliana Chagas 

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

Deixe seu comentário:

WhatsApp