Idoso no movimento espírita: Qual a sua importância?

idoso no movimento espírita Em 1999 a Comissão de Educação do Senado Federal estabeleceu o dia 1º de Outubro como o Dia Nacional do Idoso. Data que tem como objetivo uma reflexão a respeito da situação do idoso no país, seus direitos e suas dificuldades.

Diante disso, pergunta-se: Qual a importância do idoso no movimento espírita?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que esta etapa da vida começa aos 65 anos. Porém, levando em consideração os avanços tecnológicos, farmacêuticos, é possível afirmar que aqueles que chegam nesta idade, vivem melhor que seus antepassados. Por exemplo, muitos idosos saem para caminhar, enquanto seus netos ficam em casa em redes sociais.

Antigamente os idosos eram colocados em asilos ou até conviviam com seus familiares, entretanto, não podiam manifestar qualquer opinião. E ainda, muitas empresas não os contratavam porque queriam “poupá-los”.

Porém, situações como essas estão mudando. Hoje em dia, muitas empresas contratam os mais velhos por conta de suas experiências, para agregar valores aos processos seletivos, etc.

Idoso no movimento espírita

Já no que diz respeito ao idoso no movimento espírita, em muitos centros espíritas, eles aplicam passes, trabalham em sessões mediúnicas, fazem palestras, etc. Ou seja, são figuras participativas no movimento espírita.

Já em relação aos jovens, muitos não sabem sabem lidar com os mais velhos ou vice-versa, por exemplo, um idoso deseja impor seus pensamentos, e com isso, acaba não aceitando a ideia do outros. Ou então, um jovem faz o trabalho do mais velho porque pensa que ele não dará conta.

Por isso, é preciso unir a sabedoria do mais velho com a energia do mais jovem, para que assim, no final, ambos ganhem conhecimento no final da experiência.

Para finalizar, lembre-se que o tempo chegará para todos. Por isso, é importante compreender e valorizar as dificuldades dos mais velhos a permanecerem a um ideal por muito tempo.

Seja caridoso e educado com os mais velhos!!

“(…) É justo que os filhos cooperem com os pais, embora saibamos que os mais jovens de hoje serão os mais velhos de amanhã tanto quanto os maduros de agora, desempenharão, muito em breve o papel de jovens no futuro. Tudo é sequência na Lei.” (Emmanuel – Reformador, julho/76 – 22/04/1951)

E em O Evangelho Segundo Espiritismo, Allan Kardec nos apresenta a seguinte passagem:

“Honrar ao pai e à mãe não é somente respeitá-los, mas também assisti-los nas suas necessidades; proporcionando-lhes o repouso na velhice; cercá-los de solicitude, como eles fizeram por nós na infância”.

 

 

Por Juliana Chagas 

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

leave a reply

WhatsApp chat