Irmãos brigam, mas devem aprender a se amar

Quais irmãos que nunca brigaram ou fizeram uma brincadeira para fazer o outro pagar o pato? É comum vermos no dia a dia muitas pessoas nessas situações. As discussões acontecem em toda família. A explicação lógica é por conta da convivência, pois as brigas acontecem com frequência maior.

Segundo uma pesquisa de Laura Kramer, professora de estudos aplicados da família, da Universidade de Illinois em Urbana-Champaign, em média, irmãos entre 3 a 7 anos brigam cerca de 3,5 vezes por hora. Por exemplo, se o irmão mais novo tem mais atenção da família, muitas vezes o mais velho fica com ciúmes e começam as confusões.

Os pais, muitas vezes, por não saber lidar com o assunto, acham que os filhos não se gostam e que “nem parecem irmãos”. Ao tomar partido de um, o outro se sente injustiçado, piorando o sentimento entre os eles. Para evitar isso, a mãe ou o pai precisam ser imparciais. Não fazer comparações entre eles, nem com os filhos dos outros.

Especialistas em psicologia afirmam que essas ocorrências entre irmãos são comuns e não existe maneira de parar as brigas, mas tem como amenizá-las. Então, como podemos amar fraternamente os nossos irmãos?

Segundo o espiritismo, o amor fraternal é indispensável em nossas vidas. Devemos amar nossos irmãos sentindo a responsabilidade de cuidar do outro. Precisamos também compreende-los, mesmo com suas limitações. Se amarmos os nossos irmãos de sangue, esse sentimento transcenderá a todos os demais seres humanos, pois somos espíritos pertencentes a um mesmo Pai celestial. Assim, a harmonia prevalecerá. 

No entanto, existem exceções. Qual será o segredo da boa convivência entre irmãos? Será que não se vêem com constância? Bom, ainda não temos a resposta, pois todas as pessoas entrevistadas demonstraram que brigam com os irmãos. Ora, busquemos a paz, mantenhamos a temperança. Esse comportamento é saudável, agradável.

 

Fonte: Blog A hora e a vezMomento e Disney babble

 

leave a reply

WhatsApp chat