Maus – tratos aos animais e espiritismo

Antes de falarmos sobre maus – tratos aos animais e espiritismo, vamos relembrar que a doutrina espírita nos ensina que todos nós possuímos o livre arbítrio para escolher qual caminho desejamos seguir. Por isso, enquanto alguns escolhem o caminho do bem, outros, tendem a priorizar somente o seu bem – estar, por exemplo, através da exploração da natureza, dos animais. 

Muitas pessoas classificam os animais como “coisas”, além de dizerem que eles não possuem alma, sentimentos, o que acaba gerando uma estratégia para poder e exploração. Podemos citar como exemplo de maus – tratos, o caso do pitbull Sansão que teve duas patas decepadas em Confins, Minas Gerais. O acusado foi multado pela Secretaria de Meio Ambiente por maus-tratos contra outros 13 animais. 

Outro caso que ganhou os noticiários nas últimas semanas foi o de uma atriz que devolveu seus dois cães após cinco meses em sua casa. De acordo com o post da ONG responsável pelos animais. Os cachorros estão tristes e deprimidos. 

Estes dois casos nos mostram que enquanto algumas pessoas acreditam que os animais são tão racionais e sentimentais como os humanos, outros acham que eles agem apenas pelo instinto. 

Maus-tratos aos animais e espiritismo

A doutrina espírita nos ensina que os animais são como nossos irmãos mais novos, que além de estarem em evolução, eles precisam de amor e carinho. 

Allan Kardec, em O Livro dos Espíritos, questão 597, fala sobre a inteligência e a alma dos animais. Confira:

Pois que os animais possuem uma inteligência que lhes faculta certa liberdade de ação, haverá neles algum princípio independente da matéria?

Há e que sobrevive ao corpo.”

Será esse princípio uma alma semelhante à do homem?

Resp: É também uma alma, se quiserdes, dependendo isto do sentido que se der a esta palavra. É, porém, inferior à do homem. Há entre a alma dos animais e a do homem distância equivalente à que medeia entre a alma do homem e Deus. 

Para completar, Emmanuel, através da psicografia de Chico Xavier, nos ensina:

Os animais têm a sua linguagem, os seus afetos, a sua inteligência rudimentar, com qualidades inumeráveis. São eles os irmãos mais próximos do homem, merecendo, por isso, a sua proteção e amparo. O homem está para o animal simplesmente como um superior hierárquico. Nos irracionais desenvolvem-se igualmente as faculdades intelectuais. O sentimento de curiosidade é, na maioria deles, altamente avançado e muitas espécies nos demonstram as suas elevadas qualidades, exemplificando o amor conjugal, o sentimento da paternidade, o amparo ao próximo, as faculdades de imitação, o gosto da beleza.

Amor e respeito aos animais

Para finalizar, devemos nos lembrar que os animais amam sem pedir nada em troca. Quando chegamos em casa, os bichinhos nos recebem com todo o seu amor. E por mais que sejam menos evoluídos, eles nos ensinam o que é um sentimento puro e sincero. 

E lembre-se que somos julgados por nossas ações, nossos atos. Por isso, não maltrate dos animais.

A grandeza de uma nação e seu progresso moral, podem ser julgados pela forma como os animais são tratados, Mahatma Gandhi

Quer saber mais sobre o assunto confira o programa Nossos Irmãos Animais que vai ao ar toda quarta-feira às 14h na Rádio Boa Nova! 

 

Faça uma doação pelo site: feal.colabore.org

leave a reply

WhatsApp chat