Meu reino não é deste mundo – Adeilson Salles

Pilatos, tendo entrado de novo no palácio e feito vir Jesus à sua presença, perguntou-lhe: És o rei dos judeus? – Respondeu-lhe Jesus: Meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, a minha gente houvera combatido para impedir que eu caísse nas mãos dos judeus; mas, o meu reino ainda não é aqui.

Garoto, garota, a ideia de reino que Pilatos tinha compreensão era desconectada do reinado que Jesus propunha.
Quando se fala em reino logo nosso olhar se detém nas coisas da Terra.

E é isso que acaba por confundir muitos jovens que entronizam no coração a ideia de que os gozos terrenos é que dão sentido a vida.

Jesus veio nos revelar um outro reino que pode ser edificado dentro do coração de cada jovem.

Mais do que revelar a sua realeza espiritual o Mestre Divino convida os jovens a serem seus súditos pelo reinado do evangelho.
Ele não pede para que você se torne um alienado e se acredite diferente dos outros jovens, mas afirma que podemos vivenciar a majestática beleza e paz das suas lições inesquecíveis.

Ser súdito de Jesus é experimentar a paz e o equilíbrio nas lutas desse mundo.

Todo rei governa criando suas leis e sentado em seu trono, mas Jesus é um soberano diferente, pois o Trono que Ele deseja ocupar é o coração do jovem de boa vontade.

Os homens tentaram humilhar esse soberano da bondade dando a Ele uma coroa de espinhos e uma cana como cetro.
Em resposta ao escárnio dos ignorantes ele pediu ao Pai que nos perdoasse.

Centenas de milhares de jovens vem sendo abduzidos para o reino das trevas, pela ignorância das verdades espirituais.
Existe o reinado das drogas que ceifa a vida de tantas garotas e garotos, o reino do sexo que impõe processos obsessivos alienando os jovens que se tornam súditos do gozo viciante.

Jesus não proíbe o amor responsável e cuidadoso, Ele pede educação de sentimentos e pacificação das paixões.
A vida de qualquer jovem deve se expressar pela vivência das coisas do mundo, que são normais no desenvolvimento de qualquer ser humano quando passa por esse período juvenil.

Daí a necessidade de se falar do evangelho do Cristo como algo libertador, e não como um cárcere que impede os jovens de serem seres humanos castrados em sua essência natural.

O reino de Jesus existe em cada jovem que se permita abrir o coração para que Jesus possa governar sua vida.
É preciso pensar na vida futura a que se referiu Jesus quando afirmou que o reino dele não é deste mundo, mas não é necessário se alienar acreditando numa postura presunçosa onde os jovens se creiam seres a parte da sociedade.
A condição de súdito do reino de Jesus torna o jovem protagonista de uma sociedade nova, onde o Rei Jesus será visto nos sorrisos e gestos juvenis.

O reino de Jesus não é desse mundo, mas podemos viver na intimidade da nossa alma a sua majestade pelo evangelho pregado pelo Soberano da juventude: Jesus de Nazaré.

Adeilson Salles

leave a reply

WhatsApp chat