QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

-->

“Estude a si mesmo, observando que o autoconhecimento traz humildade e sem humildade é impossível ser feliz.” André Luiz

Artigos

O poder da oração e a força da fé

Enviado em 6 de julho de 2019 | Escrito por Isadino dos Santos | Publicado por Rádio Boa Nova

A Fé Raciocinada e a Fé Cega - Evangelho Segundo o EspiritismoUm dos maiores patrimônios que Deus legou a todos os seres vivos foi a saúde, visto tratar-se de um bem indispensável para que possam prosseguir na sua jornada evolutiva. Porém, para que essa caminhada seja realizada de maneira saudável, faz-se necessário definir, mesmo que de maneira resumida, o que é saúde, qual o significado de doença, como e porque esse mal se manifesta, assim como os recursos disponíveis para evitar ou eliminá-lo quando surgir.

É sabido que o ser humano é formado por três elementos distintos: espírito, perispírito e matéria. Esse último, chamado de corpo físico, nada mais é do que o instrumento que o espírito utiliza para se manifestar no mundo material, o qual é composto de órgãos que, apesar de serem independentes entre si, devem funcionar em harmonia, e, cujo funcionamento, quando perfeito, é denominado, principalmente pela ciência médica, de saúde. Em estudos científicos realizados pela medicina terrena, já ficou comprovado que desde a sua formação, existem nesses órgãos, vírus, bacilos e bactérias que, apesar de úteis e necessários à vida, quando ultrapassam os limites biológicos e se proliferam, multiplicam-se rapidamente prejudicando a função do organismo e, consequentemente, do próprio corpo. Se não bastasse os males causados pela proliferação desses microrganismos e, não obstante o desgaste natural que sofre com o decorrer do tempo, quando por comodidade ou ociosidade a prevenção e os cuidados necessários não são observados, ou seja, na medida em que o corpo vai sendo submetido a um demasiado esforço, ou recebendo qualquer substância de maneira exagerada, e até mesmo em razão de algum acidente, pelo fato de ser formado de matéria compacta portanto perecível, os órgãos passam a funcionar de maneira precária atrapalhando a atuação do corpo que, consequentemente, vai ficando cada vez mais debilitado e indefeso, podendo antecipar o desenlace do espírito. Esse mau desempenho orgânico é o que chamamos de doença, por isso é preciso dispensar-lhe cuidados especiais e tomar várias medidas preventivas visando a sua proteção contra esses microrganismos perniciosos e, consequentemente, mantê-lo saudável.

Além disso, pelo fato de viver mergulhado em uma atmosfera fluídica, o corpo material recebe, ininterruptamente, energias vindas do cosmo e do próprio planeta que poderão ser positivas ou negativas, em consequência, essas últimas passam a circular no perispírito provocando uma auto intoxicação fluídica e criando nele um campo energético propício para instalação das moléstias espirituais. Quando essas energias deletérias já estão acumuladas no corpo perispiritual, descem para o organismo físico, neutralizando e repelindo a ação das salutares e prejudicando o bom funcionamento dos órgãos, propiciando, dessa forma, as doenças  chamadas psicossomáticas. 

Temos, também, embora com menos frequência, as doenças atraídas, que são aquelas que chegam por meio de uma sintonia com fluidos negativos, cuja atração gera uma simbiose energética que, pela via fluídica causa a percepção dos sintomas da moléstia que está afetando alguém em seu organismo espiritual, e provocando naquela pessoa que a atraiu a sensação de que doença está nela, pois passa a sentir todas as manifestações que o espírito enfermo sente. Em assim sendo, temos que as doenças poderão ser físicas, espirituais ou físico-espirituais. Por esse motivo, da mesma forma que o corpo material precisa ser bem cuidado para se prevenir das enfermidades resultantes de imperfeições físicas, o espiritual também necessita de prevenção para evitar as moléstias decorrentes de influências negativas exteriores. 

Entretanto, se, mesmo tendo sido empregado os meios de prevenção exigidos as doenças já estiverem instaladas, deve se buscar o tratamento adequado para que, tanto o corpo físico como o espiritual volte a ter o seu funcionamento reequilibrado, e a saúde seja restabelecida, esse reestabelecimento é o que se chama de cura.

No primeiro caso, melhor dizendo, quando se tratar de doença física, é lícito procurar o tratamento feito por meio da medicina terrena, ministrando remédios elaborados e manipulados em laboratórios por pessoas especializadas, cujos medicamentos, desde que receitados por médicos, podem aliviar e até curar onde for permitido, pois, se Deus os colocou ao alcance de todos, podem, e devem ser utilizados para combater as moléstias do corpo. Porém, levando-se em conta que esse combate é somente contra os efeitos, deve-se buscar, também, o auxílio espiritual visando eliminar a causa que, na maioria das vezes está no espírito. Já na segunda hipótese, obviamente deve ser realizado pelos meios espirituais. As doenças espirituais, resultante da falta de cuidados com a alma, além de mais graves, e causarem maiores sofrimentos, são mais difíceis de serem curadas, por que precisam ser tratadas de dentro para fora, ou seja, deve-se primeiro sanar a causa, que está no espírito, para depois cuidar do efeito físico.

Existem vários tipos de tratamentos contra essas doenças, e que muito ajudam na recuperação da saúde, tais como o passe magnético, a água fluidificada, as cirurgias espirituais etc., e uma das maneiras mais eficazes para ajudar na cura desses males é a oração. Sabe-se que a prece é a maneira pela qual o orador se manifesta buscando a presença divina e, por tratar-se de um intercâmbio entre aquele que ora e as forças superiores, ao interagir com elas torna-se alvo da proteção espiritual, atraindo para si as energias necessárias para afastar as mazelas adquiridas pelas suas próprias faltas. Portanto, sendo a base de sustentação da alma, a oração é um antídoto fundamental para erradicar os males, tanto físicos como espirituais. Muito embora ainda seja grande o ceticismo por parte do meio científico, e uma parcela razoável da medicina não aceitar a atuação do plano espiritual no processo de cura, muitos pesquisadores e médicos já estão concordando com essa veracidade, pois a própria ciência médica já comprovou que a religiosidade apresenta uma mudança fisiológica que é essencial para a melhora e recuperação do doente, existindo, portanto, uma conexão entre a oração e a cura de uma doença, pois as pessoas enfermas que oram progridem muito mais do que aquelas incrédulas, visto que lhes dá uma atitude positiva, esperança e as ajuda a alcançar a paz e a felicidade em meio às suas enfermidades, portanto, tem um papel importantíssimo no reestabelecimento dos doentes. Daí os dizeres do Mestre Jesus: Tudo que pedires pela prece será concedido, o que significa que Deus certamente atenderá ao pedido dentro do que for necessário, não para ocultar os erros cometidos, ou esconder as faltas, cuja expiação deverá ser suportada até o fim, mas para ajudar a enfrentar as doenças com paciência e resignação.

Entretanto, convém lembrar que somente orar não é o bastante. Para obter o resultado desejado é preciso saber a maneira correta de fazê-lo, ou seja, é necessário que a prece esteja assentada em uma fé sincera, verdadeira, atuante, não vacilante e despida de qualquer formalismo, entendendo que não é pela quantidade de palavras, nem a maneira pelas quais são pronunciadas que tem valor, mas, sim, na sinceridade que contém o pedido, portanto, o essencial não é orar muito, mas, orar bem. O apóstolo Marcos, em suas pregações já dizia que: Aqueles que pensam que a multiplicidade de palavras os fará alcançar alguma graça estão enganados; para eles haverá somente choro e ranger de dentes.

Quando Jesus disse aos seus discípulos que se eles tivessem a fé do tamanho e um grão de mostarda poderiam remover montanhas, estava comparando-as, de maneira alegórica, com os obstáculos que a vida nos apresenta, e entre eles as doenças, por isso sempre dizia às pessoas que curava: “Foi a tua fé que te curou”. Portanto, na doença, se a pessoa deseja realmente o reequilíbrio das forças físicas ou espirituais, enfim, se almeja a cura de si mesma ou de outrem, precisa aprender a orar com muita fé, lembrando sempre que um pouco de fé nos leva até Jesus, e muita fé o traz até nós.

Isadino dos Santos

 

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

Deixe seu comentário:

WhatsApp